Outsourcing: como essa prática modifica e desenvolve de empresas?

outsourcing 2

Com novas tecnologias e expansões no mercado global, empresas sentem a necessidade de aplicar metodologias que são pautadas no desenvolvimento ágil. Além disso, algumas práticas também permitem uma expansão mais rápida da empresa, como por exemplo, o outsourcing.

Como funciona o outsourcing?

O outsourcing funciona como uma alocação de setores de uma empresa para agentes externos. Por exemplo, uma empresa que trabalha com pedras de granito pode fazer outsourcing e terceirizar o setor de finanças, e assim, contratar outra empresa especializada para esse fim.

O que é outsourcing?

Outsourcing é uma modalidade de terceirização que visa empregar fontes externas a uma empresa, para realização de serviços especializados.

Por meio dessa abordagem, empresas suprem necessidades específicas de áreas que não são do domínio teórico-prático das mesmas.

O outsourcing é viável?

A terceirização como um todo, tende a apresentar benefícios para uma empresa.

Antes, por exemplo, era preciso ter um time de atendimento: lecionar cursos, ensinar sobre o negócio, vendas e outros pontos para que, só assim, essa equipe possa lidar com os clientes.

Já com o outsourcing, essa modalidade de terceirização pega partes estratégicas de uma empresa, como por exemplo, o atendimento. Dessa forma, tornando-o mais ágil e por vezes, mais eficiente.

Além do atendimento, existem outros exemplos de outsourcing, entre eles:

  • Área de tecnologia da informação (TI);
  • Vendas e relacionamento;
  • Finanças e contabilidade;
  • Gestão de Recursos Humanos (RH).

Ademais, existem outros setores que se incorporam a essa prática. Mas, mercadologicamente falando, esses tendem a serem os principais quando a questão é outsourcing.

Quais as vantagens do outsourcing?

Pode ser um pouco burocrático integrar o outsourcing e até mesmo o próprio processo, derivando uma redução sobre controle das atividades internas da empresa.

Entretanto, se bem implementado e conciliado, algumas vantagens do outsourcing irão surgir, entre elas:

  • Aumento na vantagem comercial: incrementa não só a vantagem, como também figura uma maior competitividade da empresa. Isso se dá pelo fato de que a gestão empresarial e direção terão mais tempo para desenvolver as demais áreas;
  • Redução de custos: no que se refere a contratar uma equipe especializada, que se adaptará mais rapidamente ao invés de uma totalmente iniciante naquela área;
  • Redução de riscos sobre determinados procedimentos: uma vez que aquela equipe já é especializada na área, existe uma minimização de riscos ou por vezes, uma resolução mais ágil de problemas;
  • Aumento na produtividade: como contém profissionais experts na área, o trabalho executado tende a ser mais eficiente, o que aumenta a produtividade no geral. Além disso, as demais áreas que não forem atingidas por esse processo poderão ter maior enfoque.

É impreterível, nesse caso, que a contratação seja pautada na melhoria do empreendimento e cabe à gestão da empresarial averiguar o desenvolvimento dos setores outsourcers. Esse acompanhamento é garantia de que aquilo acordado foi seguido, assim como, as metas.

Por isso, o contrato de outsourcing deve contemplar todos os pontos que serão executados, bem como as devidas metas e orientações.

Vale lembrar que metas exageradas mascaram bons resultados, então, ao firmar contrato, o mais recomendado é posicionar metas tangíveis.

Por fim, o outsourcing é uma pratica de imensa responsabilidade tanto para a empresa contratante quanto para a concessora deste serviço. É fundamental, portanto, compreender o cliente ou a expertise dos outsourcers, para que assim a empresa possa caminhar sob os ombros de gigantes. Mais conteúdos? Inscreva-se no nosso Whatsapp.

Acesso rápido

Compartilhe:

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Arthur Dantas Lemos

Arthur Dantas Lemos

Especialista em Finanças Corporativas pela Fundação Getúlio Vargas. É formado pelo Programa de Profissionais do Mercado Financeiro da Bolsa de Valores de São Paulo e pelo Programa CVM de Professores para Mercado de Capitais, Avaliador de Empresas pela NACVA - National Association of Certified Valuators and Analysts (EUA). Fundou a Empreender Dinheiro para democratizar o acesso à Educação Financeira de Alto Poder Transformacional e já impactou diretamente mais de 50.000 pessoas em suas soluções educacionais.

Comentários:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimos artigos