Home Blog Perfil de Investidor: descubra qual o seu!

Perfil de Investidor: descubra qual o seu!

perfil de investidor

Para começar a investir, é importante que, para garantir bons resultados e evitar prejuízos, você entenda qual o seu perfil de investidor.

Definir o perfil de investidor ajuda a guiar a aplicação do capital em ativos adequados ao objetivo pessoal de quem está investindo.

O que é um perfil de investidor? perfil de investidor 2

O perfil de investidor consiste na identificação das características pessoais de um investidor, como seus objetivos de curto, médio e longo prazo e sua tolerância a riscos.

Com base nele, o investidor consegue escolher, entre as diversas opções de investimento disponíveis, a que melhor atendem suas necessidades.

Também chamado de suitability, ele é fundamental para que haja uma conformidade entre seu perfil e os ativos financeiros escolhidos.

Qual a importância dessa definição?

Investir, por mais que não seja tão complexo quanto parece, ainda assim é uma tarefa que existe preparação e estudo constante.

Isso porque existem diversos riscos envolvidos tanto em ativos de renda fixa quanto renda variável.

Portanto, entender qual o seu perfil de investimento é uma etapa que ajuda a entender melhor suas intenções e, consequentemente, o ativo mais indicado para a conquista desses objetivos.

Por conta disso, ao abrir a conta em uma corretora de valores, são feitos alguns questionamentos sobre sua personalidade e metas financeiras.

Esse questionário de perfil de investidor é obrigatório, conforme decreto da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), entidade que regula os investimentos no Brasil.

Quais os tipos de perfil de investidor existentes?

Existem diversos tipos de investidores em todo o mundo. No entanto, todos eles costumam se adequar às três definições existentes no perfil de investidor.

São elas:

Investidor conservador

O investidor conservador é aquele com um perfil de investimento não-agressivo, sendo ele uma pessoa física ou jurídica.

Isso significa que as aplicações desse perfil tendem a ser feitas em ativos menos arriscados, que disponibilizam maior controle sobre a rentabilidade final.

No mundo dos investimentos, é comum entender um ativo de risco como o mais lucrativo.

No entanto, mesmo investindo de maneira conservadora, é possível obter bons resultados financeiros.

Isso, é claro, se houver uma boa escolha de ativos e a diversificação da carteira de investimentos.

Principais investimentos para o perfil conservador

Os ativos escolhidos por um perfil conservador costumam ser os de renda fixa, uma forma de investimento em que já se tem previsto sua rentabilidade (quanto será ganho ao final), suas regras e taxas.

As opções de ativos mais populares dentro dessa modalidade são os títulos públicos federais, emitidos através do Tesouro Direto.

Tesouro Selic

O Tesouro Selic é um título federal pós-fixado. Isso significa que sua rentabilidade está atrelada à variação de um índice, sendo ele a Taxa Selic.

É ela que faz com que seus rendimentos variem de acordo com os momentos econômicos do país.

Em constante baixa nos últimos anos, a Taxa Selic é estabelecida pelo Banco Central, responsável pelos juros básicos da economia.

Em geral, o Tesouro Selic é uma ótima aplicação para os investidores que buscam baixo risco, alta liquidez e praticidade.

É importante destacar que títulos federais como o Selic não contam como a proteção do FGC (Fundo Garantidor de Crédito).

Isso porque, por ser uma aplicação garantida pelas contas públicas, o risco é praticamente nulo.

Ou seja, caso haja a falência do seu emissor, significa que todo o sistema brasileiro estará em colapso, impactando quaisquer outras opções de investimento cobertas pelo FGC.

Investidor moderado

O perfil moderado de investimento preza pela segurança na hora de investir, mas ainda assim possui uma certa tolerância ao risco, dependendo de seu nível.

Por isso, sua carteira de ativos costuma ser composta tanto por investimentos em renda fixa quanto em renda variável.

Assim, se tornando balanceada e, mesmo sem um alto risco, oferecendo maiores rentabilidades que o modelo conservador.

Ao investir de maneira moderada, é possível obter bons resultados financeiros ainda de maneira mais segura.

Isso, é claro, se for construída a diversificação da carteira de investimentos.

Principais investimentos para o perfil moderado

Os ativos dentro do mercado financeiro funcionam de maneira equivalente, fazendo com que investimentos mais rentáveis sejam menos seguros e/ou possuam baixa liquidez.

O objetivo do investidor moderado, ao saber disso, é conseguir um pouco mais desses resultados, sem precisar arriscar grande parte de seu capital.

Para isso, é preciso que sua carteira de investimentos tenha uma pequena quantidade de ativos variáveis, que ajudem a impulsionar sua rentabilidade total.

Como exemplo desses investimentos, temos:

Debêntures

A debênture é um instrumento de captação de recursos no mercado de capitais privados, utilizados para que as empresas financiem seus projetos.

Em troca disso, é oferecida uma remuneração anual, combinada no momento da compra, que é somada à um índice econômico.

Os debenturistas são credores da empresa que, ao final do vencimento do título emitido, receberá o valor corrigido de juros periódicos.

Por serem ativos de renda fixa, as debêntures oferecem um rendimento previsível ao investidor, algo bastante positivo para aqueles com um perfil financeiro moderado.

LCAs, LCIs, LCs

Essas aplicações de renda fixa correspondem a títulos emitidos por instituições financeiras para o financiamento de determinados setores.

Por isso, quando você adquire uma Letra de Crédito, está basicamente emprestando esse dinheiro para que a instituição utilize nessa área.

Por conta disso, os bancos devolvem esse valor com um acréscimo de juros, que são definidos no momento da compra.

No entanto, vale lembrar que tanto instituições privadas quanto públicas podem emitir esses títulos, que são atrelados a direitos de crédito sobre transações realizadas nos setores direcionados.

Essas aplicações possuem cobertura do FGC (Fundo Garantidor de Crédito), que protege valores de até R$250 mil por CPF em cada instituição utilizada para aplicações, com o valor máximo de R$1 milhão.

Investidor arrojado

O perfil agressivo ou arrojado é aquele que está disposto a assumir todos os riscos.

No entanto, é importante diferenciar essa característica da irresponsabilidade, já que o investidor agressivo possui um ótimo entendimento sobre o mercado financeiro.

Através de análises macroeconômicas, eles conseguem lidar com as variáveis do mundo dos investimentos e obter rentabilidades de até 250% do CDI em algumas estratégias.

Principais investimentos para o perfil arrojado

Os investimentos utilizados pelo perfil arrojado são, em grande maioria, os de renda variável.

Por conta disso, é importante lembrar que essa modalidade oferece mais riscos que o comum aos investidores, exigindo uma boa fundamentação.

Ações

As ações, ou “papéis“, são investimentos da renda variável que representam uma parcela do capital social de uma empresa com capital aberto.

O proprietário de ações é conhecido como acionista e pode atuar individualmente ou de forma coletiva.

A empresa disponibiliza a venda de seus papéis através da Bolsa de Valores brasileira, a B3 (Brasil, Bolsa, Balcão).

No entanto, a compra dos papéis só pode ser feita através de um intermediário. Nesse caso, uma corretora de valores.

Não existe um valor mínimo para começar a operar no mercado. O ideal é que, antes de investir em ações, se crie uma reserva de emergência.

Assim, o investidor pode passar por todas as oscilações sem prejudicar a sua capacidade financeira e a sua qualidade de vida.

Fundos multimercados

O Fundo Multimercado é uma modalidade de fundo de investimento que aplica o capital investido em diferentes mercados, como:

Essa opção de investimento não segue as mesmas regras de outros fundos mais limitados, o que faz com que ele possa oferecer uma maior rentabilidade atrelada ao baixo risco.

No entanto, para isso, o capital fica sobre o poder de um gestor, que traça estratégias para as diferentes alocações.

Ele pode ser mais conservador ou ousado, dependendo do que for acordado com o proprietário da cota.

Já no caso dos fundos de renda fixa, é preciso ter ao menos 80% de seu patrimônio em títulos deste tipo, assim como os fundos de ações, com 67% alocados em renda variável.

É importante lembrar que, assim como qualquer outro fundo, o Multimercado não possui a proteção do FGC (Fundo Garantidor de Crédito).

Porém, com uma boa escolha, o risco de calote por falência do administrador acaba diminuindo.

Como funciona a carteira de investimento de cada perfil de investidor?

A carteira de ativos é fundamental para a diversificação das aplicações que, consequentemente, gera ainda mais resultados para os investimentos.

No entanto, para isso, não adianta escolher ativos que não façam sentido para o seu perfil, mas sim entender como equilibrar esses investimentos.

Carteira do perfil conservador

O perfil conservador representa, automaticamente, o desejo de não correr muitos riscos ao aplicar o patrimônio disponível.

Portanto, a prioridade desse tipo de carteira deve ser a segurança, com investimentos de retorno previsível, ou seja, de renda fixa.

Também pode ser interessante escolher investimentos com alta liquidez, quando é possível resgatar o dinheiro em pouco tempo de aplicação.

Como dito anteriormente, os títulos do Tesouro Direto são os mais recomendados. Cada um deles possui diferentes formas de rentabilidade:

  • Prefixada: rentabilidade de taxa fixa;
  • Pós-fixada:  atrelada à variação do CDI ou da Taxa Selic;
  • Híbrida: atrelada à variação da inflação mais uma taxa prefixada.

Portanto, vale a pena escolher o mais adequado ao cenário econômico, analisando também perspectivas positivas ou negativas.

Carteira do perfil moderado

O perfil moderado aceita correr alguns riscos para alcançar lucros maiores em seus investimentos.

Por isso, uma boa estratégia é a combinação de títulos de renda fixa e variável, como a compra de ações, por exemplo.

Existem algumas definições de percentual indicadas para a aplicação em cada uma dessas modalidades.

No entanto, para respeitar sua realidade financeira, a ajuda de um consultor financeiro é recomendada.

Carteira do perfil arrojado

O perfil arrojado é aquele que está disposto a enfrentar riscos maiores em busca de excelentes rentabilidades.

Para isso, ele precisa investir, de forma majoritária, em ativos disponíveis na Bolsa de Valores.

Existem diversas estratégias voltadas a este tipo de investidor. No entanto, para ter sucesso em qualquer uma delas, é fundamental que haja um extenso e constante estudo sobre o cenário macroeconômico dos emissores dos ativos.

Assim, garantindo decisões financeiras menos arriscadas e melhores rentabilidades.

Conclusão

Existe um perfil financeiro para cada tipo de investidor existente. Por isso, é importante que você descubra em qual deles você se encaixa.

Dessa maneira, ficará muito mais fácil escolher os ativos de sua carteira e alcançar seus objetivos da maneira mais eficiente possível.

Tudo isso, é claro, respeitando seu perfil de investidor.

Escrito por

Especialista em Finanças Corporativas pela Fundação Getúlio Vargas. É formado pelo Programa de Profissionais do Mercado Financeiro da Bolsa de Valores de São Paulo e pelo Programa CVM de Professores para Mercado de Capitais, Avaliador de Empresas pela NACVA - National Association of Certified Valuators and Analysts (EUA). Fundou a Empreender Dinheiro para democratizar o acesso à Educação Financeira de Alto Poder Transformacional e já impactou diretamente mais de 50.000 pessoas em suas soluções educacionais.

Compartilhe conosco suas experiências

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *