Plano de negócio: o que é e como fazê-lo?

plano de negocio

Entrar no universo do empreendedorismo pode ser o sonho de muitas pessoas. No entanto, sem um plano de negócio, esse sonho pode acabar tornando-se um pesadelo, principalmente quando entra no contexto das dívidas, inadimplências e frustrações.

Além disso, apesar do plano de negócio ser um caminho identificado como primordial na criação de uma empresa, nem todo mundo sabe o que é e como realizá-lo.

O que é um plano de negócio?

Antes de entender para que serve um plano de negócio, é preciso contextualizar a realidade empreendedora.

Por mais que se fale em criatividade, inovação e ousadia para criar uma empresa de sucesso.

Também é válido lembrar da necessidade de prevenção e gestão de risco.

Porque o erro pode servir de aprendizado. Mas o erro também pode custar caro e prejudicar as finanças de uma organização de forma que não consiga se reerguer.

Por isso, existe um alto índice de empresas que fecham precocemente.

Na maioria dos casos, chegam ao marco máximo de apenas 5 anos.

Baseando nisso, o plano de negócios surge como uma maneira de entender:

  • Onde o empreendimento está;
  • Onde o empreendimento quer chegar;
  • Quais atividades precisam ser executadas para que essa vontade de crescimento se torne uma realidade.

Ou seja, essa ferramenta estruturada em um documento que descreve o negócio de forma clara, serve para a realização de projetos de maneira planificada e eficaz.

Como estruturar um plano de negócio?

Existem diversos modelos de plano de negócio, mas existem algumas informações básicas que qualquer um deles precisa seguir.

Por exemplo: quem são os clientes, ramo, concorrentes, pontos fortes e fracos (análise swot), fornecedores, produto/serviço etc.

Além disso, algumas questões que precisam estar claras para o empreendedor dizem respeito a qual autoridade aquele negócio deseja atingir no mercado, através de:

  • Oportunidades;
  • Resolução de dores dos clientes;
  • Diferenciação na ação empreendedora.

Canvas x Plano de negócio

O modelo Canvas segue a possibilidade de modelo de negócios em 9 tópicos de abordagem:

  1. Parceiros;
  2. Atividades chave;
  3. Oferta de valor;
  4. Recursos chave;
  5. Relacionamento com o cliente;
  6. Canais de venda;
  7. Segmento de clientes;
  8. Estrutura de custos;
  9. Fontes de receita.

Já o plano de negócio é um processo mais extenso e detalhado, também costuma abranger 9 tópicos:

  1. Resumo executivo;
  2. O produto/serviço;
  3. O mercado;
  4. Capacidade empresarial;
  5. Simulação de cenário;
  6. Estratégia de negócio;
  7. Plano de marketing;
  8. Planejamento e desenvolvimento do projeto;
  9. Plano financeiro.

É perceptível que, mesmo possuindo a mesma quantidade de tópicos, realizar o plano de negócio despende mais tempo por ser mais detalhista e demandar muito de fatores externos.

O modelo canvas conversa melhor com o início do negócio (prototipação) e o plano de negócio precisa ser prolongado, de leitura acessível tanto para pessoas de dentro da empresa, quanto para pessoas de fora (possíveis investidores).

3 dicas para fazer um plano de negócio assertivo

Conhecendo quais são os principais tópicos da estruturação de planos de negócios, existem algumas dicas que podem facilitar na hora de responder a essas questões.

1. Qual é a missão da empresa?

Independentemente do ramo que se deseje atuar, é preciso entender qual é a missão da empresa, o que ela quer agregar na vida do consumidor.

Por exemplo, uma empresa de transporte por aplicativo pode ter como missão entregar aos usuários um transporte privado de qualidade com preços justos.

2. Qual o preço do produto/serviço a ser comercializado?

Parece ser algo óbvio, mas, muitos empreendedores não sabem qual é o valor que será cobrado por cada produto/serviço que oferecem.

Para realizar isso é preciso conhecer o mercado, entender os custos que envolvem a comercialização e “pesar na balança” para encontrarem um preço que seja justo para os consumidores e traga lucros efetivos.

3. Qual é o plano de marketing?

Como o empreendedor fará para que a empresa seja conhecida? Conhecer onde o público está é essencial para saber quando e como poderá conversar com ele.

Uma estratégia que pode ajudar nessa função é a aplicação do design thinking para resolução de problemas.

Portanto, o plano de negócio é um processo estrutural que merece a atenção dos empreendedores. Para receber conteúdos gratuitos sobre empreendedorismo, educação financeira e investimentos, assine a newsletter no WhatsApp!

Acesso rápido

Compartilhe:

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Arthur Dantas Lemos

Arthur Dantas Lemos

Especialista em Finanças Corporativas pela Fundação Getúlio Vargas. É formado pelo Programa de Profissionais do Mercado Financeiro da Bolsa de Valores de São Paulo e pelo Programa CVM de Professores para Mercado de Capitais, Avaliador de Empresas pela NACVA - National Association of Certified Valuators and Analysts (EUA). Fundou a Empreender Dinheiro para democratizar o acesso à Educação Financeira de Alto Poder Transformacional e já impactou diretamente mais de 50.000 pessoas em suas soluções educacionais.

Comentários:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimos artigos