Home Blog Prazo de carência: entenda como funciona

Prazo de carência: entenda como funciona

prazo de carência 2

Quando se fala em prazo de carência a primeira palavra que deve passar na mente das pessoas certamente é “contrato”.

Entender sobre algumas definições bastante utilizadas por empresas se faz necessário. Engana-se quem acredita que termos como “prazo de carência” são relevantes apenas para quem trabalha em ambientes empresariais.

Prazo de carência o que é?

Quando se fecha algum tipo de contrato, principalmente, relacionado a matrícula escolar, cursos e planos de saúde existe um intervalo de tempo no qual é necessário aguardar para só depois de um prazo começar a utilizar o serviço adquirido.

Ao obter um plano de saúde, no contrato, constará um termo relativo ao tempo de utilização do serviço após o pagamento da mensalidade.

Ou seja, é o tempo necessário para que o consumidor possa usufruir de exames e tratamentos cobertos pelo tipo de plano ao qual foi contratado, correspondendo ao prazo de carência. Este se inclui em diversas modalidades:

  • Fundo de investimentos;
  • Empréstimos;
  • Planos de saúde;
  • CDB;
  • Prazo de carência em um financiamento.

Carência e vencimento qual a diferença?

Carência é o espaço de tempo no qual um contratante não pode usufruir do benefício que foi pago. Sendo preciso aguardar uma quantidade específica de dias para que o serviço seja liberado.

No entanto, a carência também pode ser utilizada para que o consumidor possa reincidir um contrato ou empreendimento. Já o vencimento é o prazo final no qual o consumidor tem para realizar um pagamento por um serviço ou produto que já vem utilizando.

Contudo, na área de investimentos é o prazo limite no qual o investidor, desde o momento da aplicação, tem para realizar o resgate de um CDB, quando se trata de renda fixa.

Entenda como funciona a carência CDB

prazo de carência 1

Para entender sobre o prazo de carência de um CDB, antes é preciso compreender o que é um ativo de renda fixa.

São ativos que contém fluxos estáveis que pagam investimentos considerando os juros. Então, a renda fixa é quando você empresta dinheiro para um banco ou instituição financeira e ele devolve com juros.

Mas como é possível que o cliente empreste dinheiro ao banco? É bem simples, através de conta poupança ou rendimento, a partir do momento que você faz o depósito o banco pode pegar esse valor e emprestar para outras pessoas ou instituições financeiras.

A diferença estará no custo de juros ao ano que o banco irá cobrar para emprestar dinheiro e, o montante do que ele devolver para você ao ano. Então, suponha que a instituição financeira pague juros de 15%, ela irá cobrar juros de 30%.

Ademais, o Certificado de Depósito Bancário (CDB) é quando o banco pega emprestado do cliente para emprestar a outras pessoas ou empresas. A diferença dele para a poupança é que será cobrado o Imposto de Renda em cima do valor total do rendimento.

A carência CDB é uma data especifica na qual o investimento poderá ser resgatado independente do prazo de vencimento, pois a data da carência para ativos de renda fixa é informada no momento que o título comece a possuir liquidez.

No entanto, quando esse prazo de carência não existe, é porque o CDB corresponde a uma liquidez diária.

A partir de então, o rendimento do investimento poderá ser resgatado a qualquer momento.

Você sabe qual é o período de carência para um empréstimo?

É comum ouvir de bancos e financeira “pegue seu empréstimo e obtenha até 90 dias para começar a pagar” logo, essa é a carência para iniciar o pagamento das parcelas, porém, a data limite será o prazo de vencimento total contratado para quitação do empréstimo.

O que é um empréstimo?

É quando pessoa física ou jurídica precisam de recursos financeiros além de seus salários ou rendimentos para quitar uma dívida, adquirir um bem ou até mesmo impulsionar seu negócio. Portanto, o empréstimo não possui uma finalidade específica.

Entretanto, antes de decidir solicitar aos bancos e instituições financeiras esse recurso, é preciso ter cautela e pesquisar a porcentagem de juros cobrados por instituições financeiras.

Prazo de carência: plano de saúde

Um dos mais utilizados pela população é o prazo de carência plano de saúde. Ele muitas vezes irá depender do tipo de contrato individual que o consumidor realizou com a empresa prestadora do serviço.

Assim, a pessoa tem que aguardar uma quantidade de dias definida pelo plano de saúde para poder utilizar os procedimentos que são oferecidos.

Portanto, a carência varia de acordo com a empresa, porém, por lei, não poderá ultrapassar o limite de 180 dias estipulado pela Agência Nacional de Saúde (ANS).

Qual a importância da carência no plano de saúde?

Este é de fundamental importância para que os recursos financeiros sejam captados pelas operadoras, devido aos custos dos procedimentos que serão realizados.

Prazo de carência em um financiamento

O prazo de carência em um financiamento requer do empreendedor muita análise de mercado sobre os benefícios e malefícios em adquirir um imóvel ou bem.

Planejar, estruturar e fazer controle financeiro são três passos para que o investidor não saia no prejuízo e consiga quitar o pagamento do investimento.

Muitos bancos possuem termos distintos para iniciar o prazo de carência no qual uma empresa terá um intervalo de tempo para começar a pagar o financiamento.

Muitas vezes, nos primeiros meses é necessário pagar apenas os encargos financeiros, ou seja, os juros cobrados para a idealização de um negócio.

Neste, bem como empréstimo e CDB, o cliente pode fazer uso do serviço ou produto antes de começar a pagar. Porém, existe uma data de vencimento que deve ser respeitada.

Então, para quem possui um negócio, o prazo de carência pode ser estrategicamente utilizado para que o empreendedor consiga um espaço de tempo.

Assim, impulsionará seu empreendimento e, só após um dado período começa a pagar o financiamento.

Além disso, é preciso estudar o modelo de negócio para definir qual o tipo de prazo de carência adequado ao investimento, pois existem tipos de financiamentos em que tudo dependerá do curto ou longo prazo, se você começará a pagar cedo, por pouco tempo ou por muito tempo, é importante se atentar a isso para minimizar os riscos de se endividar e não poder arcar com essas dívidas.

Escrito por

Especialista em Finanças Corporativas pela Fundação Getúlio Vargas. É formado pelo Programa de Profissionais do Mercado Financeiro da Bolsa de Valores de São Paulo e pelo Programa CVM de Professores para Mercado de Capitais, Avaliador de Empresas pela NACVA - National Association of Certified Valuators and Analysts (EUA). Fundou a Empreender Dinheiro para democratizar o acesso à Educação Financeira de Alto Poder Transformacional e já impactou diretamente mais de 50.000 pessoas em suas soluções educacionais.

Compartilhe conosco suas experiências

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

connect

we'd love to have your feedback on your experience so far

bicycle