Home Blog Quanto custa ter um filho: planejamento e critérios

Quanto custa ter um filho: planejamento e critérios

quanto custa ter um filho 2

Ter uma boa educação financeira te ajuda a tomar decisões melhores em relação ao seu rumo financeiro e quem busca saber quanto custa ter um filho está, provavelmente, pensando nos gastos relacionados ao aumento da família. Primeiro, é preciso entender que os custos de se ter uma criança começam logo no momento da gestação.

Seja qual for o poder aquisitivo dos pais, geralmente os gastos com a criança giram em torno do seu padrão de vida. Por isso, quem quer saber quanto custa ter um filho precisa antes entender o seu estilo de vida e possíveis mudanças de hábitos que podem ser implementadas.

Por isso, a criação, gestação e educação de um filho deve ser bastante planejada. Já que, nesse caso, ela exige custos fixos que acabam tomando o lugar de antigas prioridades financeiras. Portanto, se você quer saber quanto custa ter um filho, fique atento aos gastos necessários e aprenda a economizar.

Como fazer um planejamento financeiro para ter um filho?

A chegada ideal de um bebê é planejada. Assim, é possível entender o momento correto e quando as condições financeiras podem proporcionar o melhor para a criança. Entretanto, em vários casos, a gestação ocorre acidentalmente, principalmente entre os jovens.

Se você está dentro desse grupo não é preciso se desesperar. Mesmo durante a gestação ainda dá tempo de se planejar para gerir bem o orçamento existente. Já para quem está só pensando em ter um filho, o processo pode ser ainda mais tranquilo financeiramente.

Entre os gastos com criança mais essenciais, estão:

  • Fraldas e Vestuário;
  • Creche ou Babá;
  • Alimentação;
  • Saúde;
  • Quarto e móveis.

Antes do nascimento do bebê, o casal deve observar primeiramente o quadro financeiro existente. É nesse momento em que deve haver a quitação das dívidas e a criação um planejamento financeiro e patrimônio familiar.

Esse tipo de orçamento doméstico ajuda o casal a achar e eliminar despesas desnecessárias. Com as informações nele obtidas, é possível deixar claro se o que você quer oferecer para seu filho está ao seu alcance.

Gestação

Alguns questionamentos devem ser feitos antes do nascimento do bebê. É preciso ter em mente se parto vai ser em hospital público e qual o tipo. Além disso, se o enxoval vai ser herdado ou será todo comprado pelos pais. Sabendo disso, você cria uma meta financeira a ser alcançada antes do parto.

Para economizar no quarto do bebê, existem diversas estratégias:

  • Escolher móveis 2 em 1;
  • Dispensar papeis de parede;
  • Escolher cores neutras
  • Trocar o guarda-roupa pela cômoda
  • Procurar móveis usados em sites de revenda

Os móveis infantis utilizados por muito pouco tempo, por conta do crescimento da criança. Por isso, quem não recebe ajuda dos familiares no processo de montagem e decoração tem a alternativa dos móveis usados.

Algumas opções como o chá de bebê são oportunidades de economizar para ter um filho. Presentes ou repasses da família e amigos podem te ajudar a economizar quantias na casa dos milhares.

É importante, porém, se atentar para não gastar mais com a comemoração do que se gastaria comprando os produtos.

Ao se atentar a essas economias, sobra mais dinheiro para investir em outras áreas como o pré-natal. Ele, por exemplo, é fundamental durante a maternidade para garantir a saúde e um parto seguro tanto para o bebê quanto para a mãe.

Nascimento

Logo após o nascimento, começam os principais gastos com filhos. São despesas com fraldas, remédios e produtos de higiene. Fora isso, a conta de energia elétrica tende a aumentar, já que ocorre a movimentação na casa em horários não convencionais.

Em caso de alimentação por leite industrial, os gastos aumentam consideravelmente, já que eles chegam a custar até R$ 100,00/Kg.

Um bom investimento para economizar na área de saúde sem comprometer a saúde do bebê é o plano de saúde. Com ele, os gastos com pediatria e consultas emergenciais, por exemplo, diminuem consideravelmente.

Educação

Quando o período de licença acaba, o responsável precisa escolher um cuidador. Quem não possui familiares disponíveis para cuidar da criança de forma gratuita recorre a babás ou creches.

Nesse caso, deve-se ter cuidado com as condições e histórico do local. Muitas vezes economizar nessa área não é a melhor opção.

Quando o período escolar chega, ainda se acrescentam os valores das mensalidades, que variam de acordo com cada área e região. Como as condições do ensino público não são as melhores, a maioria dos pais acaba investindo em escolas particulares.

Além da escola, existem outros diversos gastos dependendo de cada padrão de vida:

  • Curso de idioma;
  • Reforço escolar;
  • Atividades esportivas;
  • Presentes de aniversário;
  • Passeios;
  • Brinquedos e Eletrônicos.

É fundamental o planejamento e organização financeira para saber quanto custa ter um filho. Ao economizar em algumas áreas, sobra dinheiro para investir no que realmente importa para você e o novo integrante da família. Dessa forma, você entende o seu padrão de vida e adapta os novos gastos a ele. Veja outras dicas como essa através da carta do fundador, um conteúdo diário com insights valiosos!

Escrito por

Especialista em Finanças Corporativas pela Fundação Getúlio Vargas. É formado pelo Programa de Profissionais do Mercado Financeiro da Bolsa de Valores de São Paulo e pelo Programa CVM de Professores para Mercado de Capitais, Avaliador de Empresas pela NACVA - National Association of Certified Valuators and Analysts (EUA). Fundou a Empreender Dinheiro para democratizar o acesso à Educação Financeira de Alto Poder Transformacional e já impactou diretamente mais de 50.000 pessoas em suas soluções educacionais.

Compartilhe conosco suas experiências

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *