Home Blog Como a Receita Operacional interfere nos investimentos?

Como a Receita Operacional interfere nos investimentos?

receita operacional

Para quem busca aplicar dinheiro em ações de empresas, entender sobre o levantamento da Receita Operacional é um fator a se levar em conta na renda variável.

Sendo assim, para entender se você deve ou não investir dinheiro em um empreendimento, uma boa opção é fazer a análise da Receita Operacional.

Em linhas gerais, a Receita Operacional é a receita que uma empresa obtém com o resultado de suas atividades.

Entendendo a Receita Operacional

A Receita Operacional é a junção de todos os recursos que se ganha a partir da venda de produtos ou serviços. Ela é uma receita bruta – isto é, sem nenhuma dedução – na qual se chega em uma receita líquida – que envolve a exclusão de todos os impostos referentes à operação.

Para ter conclusões sobre a estabilidade financeira de empresas, fatores como a Demonstração do Resultado do Exercício (DRE) servem como guia. Inclusive, o DRE é essencial quando se trata de obter os dados da Receita Operacional.

A Demonstração do Resultado do Exercício (DRE) faz parte de um conjunto de relatórios de demonstrações contábeis. Esses relatórios, por sua vez, indicam contas que afetam no resultado de uma empresa, como, por exemplo, receitas e despesas.

Demonstração do Resultado do Exercício

Dentro da DRE, portanto, existe uma composição de todo o movimento financeiro necessário para compreender se o negócio está sendo positivo ou negativo. Sendo assim, pertencem a Demonstração de Resultado alguns fatores, como:

  • Receita Operacional Bruta (ROB): é a receita sem obter nenhum tipo de dedução de imposto que estejam relacionados a vendas;
  • Receita Operacional Líquida (ROL): é o resultado da Receita Operacional Bruta após a conclusão de toda declaração de imposto dos serviços prestados. No entanto, é preciso lembrar que a ROL se relaciona com lucros e prejuízos;
  • Receitas Financeiras: conforme a legislação do Imposto sobre Renda, todos os juros, lucros na operação, descontos, títulos e outros tipos de rendimentos relacionados a aplicações de renda fixa fazem parte dessa modalidade.

A receita operacional se difere da receita financeira porque essa última não surge pelo negócio da empresa, mas se origina de juros, descontos, dividendos ou resultados de operações financeiras, por exemplo.

Dessa forma, então, a Receita Operacional mostra o quanto a empresa de fato gera com a sua operação. Sendo assim, é um indicador importante para entender se o negócio da empresa está crescendo ou não.

Como calcular a Receita Operacional?

receita operacional 2

Para se calcular o valor total da receita basta multiplicar o preço dos produtos ou serviços que se vendeu pela quantidade. Dessa forma, terá o resultado total.

Contudo, esse número representa o valor da receita operacional bruta. Afinal, ele não leva em consideração devoluções, abatimentos ou impostos. Portanto, quando se reduzem esses valores, se tem Receita Operacional Líquida.

Ela, por sua vez, leva em conta a receita total da empresa e os descontos totais. Além disso, os impostos que se abatem para obter a receita operacional líquida são só os tributos que incidem sob as vendas, isto é, que se relacionam de modo direto com a operação da empresa.

Vale ressaltar que os impostos, como IPTU, são fixos e independem da operação. Portanto, não entram no cálculo. Portanto, o cálculo básico para entender a ROB e ROL funciona da seguinte forma:

  • ROB (Vendas de Produtos + Vendas de Mercadorias + Prestação de Serviços) – (Devoluções de Vendas, Abatimentos, Impostos e Contribuições Incidentes sobre Vendas) = ROL.

Resultados Operacionais

Em primeiro lugar, vale dizer que o Resultado Operacional também se chama de “lucro antes dos impostos”. Portanto, ele calcula se a empresa está lucrando com a operação. Para isso, ele considera a receita operacional bruta como base do cálculo.

  • Resultado Operacional Bruto – Despesas Financeiras = Resultado Operacional Líquido.

Os resultados operacionais podem oferecer uma importante análise para o gestor e até mesmo para quem investe, afinal, se trata de um dado muito relevante a se considerar sobre a empresa.

Dessa forma, sendo o resultado operacional positivo, isso significa que a operação está sob controle e está sendo possível lucrar com ela.

Por outro lado, sendo o resultado operacional negativo, isso representa que o gestor está trabalhando no prejuízo e precisa rever seus gastos ou aumentar sua receita.

Por fim, se o resultado líquido for maior que o resultado operacional, é preciso prestar atenção. Isso significa que grande parte do dinheiro que entra se origina de fontes que não tem relação com a empresa, isto é, com a venda dos produtos e serviços que ela oferece.

Nesse último caso, então, o gestor deve cuidar para que não trabalhe no prejuízo, só colocando dinheiro de outras fontes para cobrir uma operação negativa.

Qual a importância das demonstrações contábeis na hora de investir?

Existem diversos tipos de investimentos em renda variável como, por exemplo, o mercado de ações, fundos imobiliários e fundos de ações.

No caso das ações, para investir com mais segurança, é necessário que o investidor faça uma análise das demonstrações contábeis da empresa. Isso porque não é bom aplicar em uma instituição que não é rentável ou está com suas finanças em um cenário negativo.

Sendo assim, ter os dados de empresas que o investidor pretende aplicar é essencial pois, dessa forma, os riscos de uma escolha ruim podem ser menores.

Portanto, a Receita Operacional se torna um importante indicador para o investidor. Afinal, é através desses índices que os negócios propostos pelo empreendimento serão avaliados como rentáveis ou não rentáveis e, assim, é possível chegar ao Resultado Financeiro.

Entendendo o Resultado Financeiro

O Resultado Financeiro tem como objetivo concluir a análise avaliando o lucro ou prejuízo que uma empresa obtém através dos investimentos, recebimentos e gastos realizados. Além disso, o resultado se constitui pela receita financeira menos a despesa financeira.

Além disso, o Resultado Financeiro permite analisar de que forma o negócio tem sido conduzido: por exemplo, como está se emprega dinheiro ao caixa, quanto se paga de juros por dívidas, multas de atraso, locação de recursos e outros.

Já no caso da Receita Operacional, ela demonstra o que a companhia gerou através de suas operações. Sendo assim, serve de guia para o investidor ter detalhes fundamentalistas para a decisão sobre um futuro investimento na empresa.

Como calcular a Receita Operacional?

ROB (Vendas de Produtos + Vendas de Mercadorias + Prestação de Serviços) – (Devoluções de Vendas, Abatimentos, Impostos e Contribuições Incidentes sobre Vendas) = ROL.

Para que serve a Receita Operacional?

A Receita Operacional mostra o quanto a empresa, de fato, gera com a sua operação. Sendo assim, é um bom indicador para entender se o negócio da empresa está crescendo ou não. Além disso, é um ótimo fator para quem investe na renda variável.

Escrito por

Especialista em Finanças Corporativas pela Fundação Getúlio Vargas. É formado pelo Programa de Profissionais do Mercado Financeiro da Bolsa de Valores de São Paulo e pelo Programa CVM de Professores para Mercado de Capitais, Avaliador de Empresas pela NACVA - National Association of Certified Valuators and Analysts (EUA). Fundou a Empreender Dinheiro para democratizar o acesso à Educação Financeira de Alto Poder Transformacional e já impactou diretamente mais de 50.000 pessoas em suas soluções educacionais.

Compartilhe conosco suas experiências

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *