Home Blog Reescalonamento de dívidas: entenda o que é e como funciona

Reescalonamento de dívidas: entenda o que é e como funciona

reescalonamento de dividas

A educação financeira é a chave para lidar com as dívidas e gerir melhor o seu orçamento. Por exemplo, saber o que fazer quando tiver um acúmulo de juros, entender processo de reescalonamento de dívidas, entre outros. 

Com o reescalonamento de dívidas é possível reduzir seu financiamento e até eliminar os juros existentes. Para isso, é preciso estar atento a alguns detalhes. 

O que significa reescalonamento de dívidas? 

Nada mais é do que fazer uma nova negociação para quitar uma dívida. Desse modo, o devedor consegue condições mais possíveis para limpar seu nome.  

Entre as opções de renegociação de dívidas, estão: 

  • Eliminação de juros;
  • Redução de juros;
  • Maior parcelamento. 

Como fazer para negociar dívidas com o banco? 

Atualmente, existe a possibilidade de renegociação de financiamento online. Entretanto, alguns especialistas recomendam que o processo ocorra pessoalmente ou por telefone. 

O motivo disso é a forma como a renegociação ocorre na internet. Pelo site da instituição, normalmente existem espaços que, ao serem preenchidos, fazem um cálculo automático do novo valor a ser pago. 

Uma desvantagem desse tipo de serviço é que ele não é aderente às necessidades pessoais do devedor. Por isso, fazer um reperfilamento de dívidas bancárias mais pessoal exige uma conversa direta com a instituição financeira.

Como pedir o reescalonamento de dívidas? 

É preciso entrar em contato com a instituição financeira responsável pelo financiamento. Porém, antes disso, é necessário saber o quanto você pode pagar. Dessa forma, fica mais difícil aceitar propostas que não sejam realistas com seu orçamento. 

Ao conversar com o banco, ele fará a primeira proposta. Essa primeira proposta geralmente não é a mais vantajosa. Por isso, é preciso ser realista e direto para contrapropor com um valor justo e que caiba no seu orçamento. 

Estabelecer um limite de quanto você pode pagar, seja à vista ou por mês, ajuda na busca pelo novo valor. Pedir o cancelamento dos juros também vale no reescalonamento. Cabe à instituição aceitar ou não. 

Proposta feita, e agora? 

Se o novo valor decidido está adequado às suas condições, é preciso estar atento na hora de assinar o novo contrato de negociação. 

Verificar irregularidades e taxas a mais é dever de quem vai assinar o contrato. Caso perceba alguma cobrança ou clausula indevida, denuncie aos órgãos de defesa do consumidor.  

Além disso, revise o cálculo da nova dívida e, se o pagamento for parcelado, se o valor final procede com o fechado em acordo. 

Vantagens do reescalonamento de dívidas 

São inúmeras as vantagens da renegociação de dívidas. Para quem não possui condições de pagar o valor atual de uma cobrança, o ideal é a realização de um novo acordo.  

Acabar com as dívidas é o primeiro passo para quem busca a transformação financeira.  

Para quem vai fazer uma renegociação de dívidas, é preciso ter algo claro em mente: não se deve fazer um acordo que você não irá cumprir.  

Esse tipo de atitude pode prejudicar a sua credibilidade e é injusto com a instituição financeira, seja ela qual for. 

Portanto, se o reescalonamento de dívidas é a melhor opção para você, siga esses passos. Ao cumprir o novo acordo financeiro, fique atento para não criar novos débitos. Evite isso ao se organizar, utilize por exemplo, a nossa planilha planejador financeiro mensal.

Escrito por

Especialista em Finanças Corporativas pela Fundação Getúlio Vargas. É formado pelo Programa de Profissionais do Mercado Financeiro da Bolsa de Valores de São Paulo e pelo Programa CVM de Professores para Mercado de Capitais, Avaliador de Empresas pela NACVA - National Association of Certified Valuators and Analysts (EUA). Fundou a Empreender Dinheiro para democratizar o acesso à Educação Financeira de Alto Poder Transformacional e já impactou diretamente mais de 50.000 pessoas em suas soluções educacionais.

62 Respostas para “Reescalonamento de dívidas: entenda o que é e como funciona”

  1. ADRIANO TAVARES

    ola boa tarde
    tenho uma casa financiado no b.brasil, so que as parcelas estao muito altas e nao consigui pagar mais faz um ano.
    fui ver essa coisa reescolacamento e nao consigo fazer pelo app do banco.
    e a divida tambem sumiu do meu app.
    o posso fazer.
    ah ja paguei 6 anos de 1780 reais a parcela…a casa quando eu comprei valia 150 mil…hj a minha divida esta em 250 mil reias.exiate algo q o banco p9sa fazee para diminuir as parcelas nestes tempo de crise nunca mais consegui pagar.

    • Arthur Dantas Lemos

      Opa Adriano, você consegue sim, inclusive é possível fazer uma portabilidade de dívida (tenho um artigo sobre isso aqui no blog se você quiser saber mais sobre). Caso opte por continuar com seu banco atual, recomendo fortemente que você ligue, explique a situação e sua intenção de pagar a dívida, ATENÇÃO, não faça um acordo em que você não consiga pagar.

      Tenha em mente o seguinte:
      Os bancos, de forma geral, apresentam um mecanismo de resseguro, em que quando alguém deixa de pagar, eles acionam isso e garantem a quantia em dinheiro. Por tanto, eles não “perdem”, o dinheiro que você não pagou, eles já receberam, o que você deve encarar no entanto é o seguinte, se eles já foram “pagos”, todo dinheiro que você ainda deve seria um extra “caso você venha a pagar em algum momento”. Por isso, faz sentido eles renegociarem sua dívida, já que eles já garantiram o valor anterior e agora vão apenas tentar o melhor acordo para ganhar um acréscimo.

    • Arthur Dantas Lemos

      Marizete, tudo certo?
      Olha, é preciso renegociar sempre tendo em mente a possibilidade real de arcar com esse novo contrato, sendo assim, se esse escalonamento não faz sentido, se você não tem condições de pagá-lo.

      Negocie.

      Essa é a chave para tentar reduzir as dívidas e reduzir os juros incidentes, veja, é da vontade do credor receber esse dinheiro de volta, ou seja, ele estará disposto a negociar com você se entender que não receberá o dinheiro agindo assim, use isso ao seu favor e NUNCA aceite uma proposta que você não terá como pagar.

    • Arthur Dantas Lemos

      Sim Karoliny, é possível renegociar o valor com o seu credor, especialmente se os juros cobrados para esse tipo de crédito decaiu recentemente, inclusive, esse pode ser um dos argumentos utilizados para renegociar. Sobre sua outra dúvida: a menos que esteja no contrato que a instituição financeira não poderá buscar valores de outras contas do mesmo titular, a operação pode ser debitada, sim, da sua conta poupança.

  2. Oi. Tenho um emprestimo no BB. Fiquei desempregada. Fui tentar pelo app e aceitei a proposta de reescalonamento. Com parcelas melhores do que as que eu vinha pagando. Poderia me ajudar? Apareceu la o valor de 1.622 que era o que eu ainda devia. (Minhas parcelas estavam em dias). O valor das parcelas é de 220 reais. Agora apareceu la que ficou de 99,89. Estou com um pouco de medo por nao entender essas coisas. Entao a partir de agora as minhas próximas parcelas sera de 99,89? Medo de vir as duas juntas. A de 220 com a 99,89.. ME AJUDEE A ENTENDER

    • Arthur Dantas Lemos

      Tudo bem com você Marizete? Sobre sua questão, recomendo que ligue para o Banco do Brasil e peça a confirmação, mas pelo que você me falou, sim, a partir de agora você pagaria apenas R$99,89 por mês, sem a cobrança de R$220.

  3. Boa Noite,tenho um financiamento de uma casa pelo Banco do Brasil pelo programa minha casa minha vida, a um tempo atrás eu fiz um renegociação de 2 parcelas em atraso, sendo que o valor da parcela era de 389,00, depois dessa negociação as parcelas subiram pra 394,00.
    Mês passado fiz uma nova renegociação de 3 parcelas em atraso, sendo que no ato da assinatura do contato de renegociação não tinha o valor d como ia ficar a nova parcela, mas a atendente da agência disse que ia subir praticamente o mesmo valor da primeira vez, mais só que a parcela subiu 43 reais ficando assim uma parcela de 437,00 diluído nos restante dos meses que são 276 meses.
    Achei o valor super alto.
    O que devo fazer pra baixar essa parcela, pois a fui na agência onde fiz e ninguém resolve isso.
    Caso poder me ajudar nessa questão. Agradeço

    • Arthur Dantas Lemos

      Cleber tudo certo? Bom, uma coisa que não te falam é que ele já receberam esse valor. No caso, eles tem um seguro que quando você deixa de pagar, eles recebem o valor de volta. Por isso, se você pode usar isso ao seu favor, o que eles vão receber é literalmente lucro. Tente negociar com eles um valor mais justo, parcelado, e é óbvio que não vai diminuir tanto assim, mas só aceite se a parcela estiver dentro de sua realidade. Você também pode alegar aqui que está em um momento de crise e que não tem condições de pagar essa parcela, que mudou a sua realidade financeira e que não da mais para manter.

  4. Josinaldo Tomaz de Lima

    Olá meu nome é josinaldo Tomaz eu tenho empréstimo consignado em um Banco e a parcela já está muito alta se eu conseguir o Reescalonamento mesmo assim depois eu passo contrair outro empréstimo consignado na mesma instituição financeira

  5. Talita Cristina Souza Dos Santos

    É possível negociar nesses moldes sem perder o limite so cartão de crédito?
    Porque, eu paguei meu cartão, consta em aberto 4 emprestimos, sendo 2 meses em atraso, quando consulto o limite de crédito, consta que tem porém,quando tenho utilizar, não autoriza.

    • Arthur Dantas Lemos

      Tudo bem Talita? Olha, nesse caso acredito que o cartão está bloqueado, o correto é verificar com a empresa do seu cartão. Sobre sua outra dúvida, sim, dá para negociar e não perder limite.

  6. Tenho uma dívida com o Banco do Brasil no valor original de R$ 70 mil
    Ficou acordado o pagamento de 96 parcelas de 1.784,42
    Paguei 52 parcelas em dia = R$ 92.768,00
    Devo 44 parcelas = R$ 78.496,00
    taxa efetiva 1,98% e taxa ao ano 26,526%

    Durante a crise do corona vírus a minha empresa está fechada e não consegui mais pagar.

    Tentei desde o inicio antes da parcela vencer prorrogar para 3 meses, mas o banco exige garantias ou um fiador.
    Eu tinha um fiador na negociação anterior, mas ele faleceu. As parcelas já estão atrasadas 2 e no dia 28.05 vence a terceira.

    Já fiz reclamação na ouvidoria, no banco central, mas eles se recusam a prorrogar.

    E a algum tempo atrás tentei quitar a conta, mas eles se recusaram a tirar o juros. E disseram que a minha dívida é quase o valor original R$ 70 mil.

    O que me aconselha a fazer? pensei em pegar alguns desses empréstimos que o governo está liberando e quitar essa divida (isso seria aconselhável?) Os juros são menores?

    Qual é o real valor da minha dívida hoje? qual órgão competente conseguiria me ajudar? eu posso processar o banco diante disso? estou com a minha empresa fechada por decreto do governo do estado e no meio de uma pandemia o banco quer cobrar juros?.

    Seria aconselhável parar de pagar?

    • Arthur Dantas Lemos

      Opa Meri, o Banco pode se recusar a negociar algumas condições que não são do interesse dele. Mas você sempre pode tentar uma portabilidade de dívida para outra instituição financeira, inclusive com tentativa de redução dos juros, ou uma substituição da dívida, trocando uma mais cara por outra mais barata. Ao que nos parece, a opção oferecida em caráter especial através do governo por conta da pandemia, tem juros extremamente reduzidos, desde que se enquadre em algumas categorias. Dentre elas, ter uma micro e pequena empresa. Por isso, pesquise essa opção e se conseguir o crédito e o mesmo COUBER em seu orçamento (para que não fique inadimplente novamente), poderá substituir essa dívida.

      Essas são apenas algumas das soluções mais viáveis, caso o banco em questão não deseje negociar. No entanto, poderá pausar os pagamentos e ter seu nome negativado, para tentar uma nova negociação futura. Esta sem garantias de melhores condições

      Se estiver se sentindo lesado, pode buscar o PROCON ou ajuda especializada para revisão dos juros. No entanto, o não pagamento de parcelas realmente pressupõe cobrança de juros e não há obrigatoriedade para que as parcelas sejam postergadas, infelizmente.

  7. HermesonCruz

    ola tudo bem? Tenho uma divida no valor de 1177 que vai ser descontada de uma vez, ai fiz o reescalonamento de divida no valor de 5800 sera que o restante desse dinheiro vai ficar disponivel para saque?

    • Arthur Dantas Lemos

      Opa Hermeson tudo certo? Veja, pelo que entendi você renegociou para um valor a cima do valor que você devia, isso é totalmente incorreto e você deve buscar ajuda se for esse o seu caso. A menos que o valor atual seja esse daí, que você tenha feito uma dívida que inicialmente era R$1177, mas que com passar do tempo, com os juros e sem pagar, ela se tornou esse valor maior que depois foi renegociado. Enfim, em todos os casos e cenários, você não terá como resgatar nada, o valor pago permanece com a empresa.

  8. Kaline de Araújo

    Olá boa noite! Me chamo Kaline, eu fiz um reescalonamento com o Banco do Brasil, as parcelas estavam certinhas pois eram descontadas automaticamente da minha conta corrente no Banco do Brasil, infelizmente eu fiquei afastada do meu trabalho pelo INSS onde fiquei sem receber meu salário e não tive como pagar as parcelas do reescalonamento, eu liguei pro banco antes de atrasar a primeira parcela mais a atendente falou que não teria possibilidade de prorrogar as parcelas ou de renegociar. O que você me aconselha a fazer? Será que eu posso pedir que eles emitiam um boleto para eu pagar as 3 parcelas que estão atrasadas? Desde já agradeço a atenção e aguardo retorno. Att.

    • Arthur Dantas Lemos

      Olá Kaline, se houver possibilidade de quitar, o melhor é colocar em dia. Também é possível entrar em contato com seu gerente de conta, que talvez possa brigar por uma condição melhor para quitação dessas parcelas. Sem isso, seria abrir uma renegociação, a exemplo de feirões para quitação, que trazem acordos para ambas as partes. Por fim, existe sempre a opção de portabilizar, substituindo a dívida de uma instituição financeira inflexível por outra que tenha interesse na mesma dívida.

  9. Katia Soares

    Prezados,

    Sou Servidora Pública, em 2018, caí numa armadilha do BMG ao pegar um empréstimo acreditando que estaria sendo consignado, entretanto, fui surpreendida meses depois com a informação que o empréstimo tinha se dado via cartão de crédito BMG, ocorre que nunca em minha vida contratei qualquer empréstimo via cartão de crédito, e atualmente, o que pago via folha de pagamento é o que eles chamam de amortização. Como posso me livrar dessa situação? não me nego a pagar o empréstimo, mas, ficar só pagando amortização é absurdo!
    Obrigada.

    • Arthur Dantas Lemos

      Katia, de fato é uma situação bem delicada, mas vamos lá:
      Se houver possibilidade de quitar, o melhor é colocar em dia. Também é possível entrar em contato com seu gerente de conta, que talvez possa brigar por uma condição melhor para quitação dessas parcelas. Sem isso, seria abrir uma renegociação, a exemplo de feirões para quitação, que trazem acordos para ambas as partes. Por fim, existe sempre a opção de portabilidade de dívida (tenho um artigo aqui no blog sobre isso se quiser saber mais), basicamente, através da portabilidade você vai substituir a dívida de uma instituição financeira inflexível por outra que tenha interesse na mesma dívida.

  10. FRANCENILDO FERNANDES DE ALENCAR

    Ola mim chamo francenildo fiz um deslocamento de divida ficou em 48 pacela 222 o valor do cartão de crédito 1191 ou do empretimos e de 2219 o valor pra empretimos volta e o limite do cartao

    • Arthur Dantas Lemos

      Olá Fracenildo, vai depender do acordo que você realizou, para isso, recomendo que você ligue para sua operadora de cartão e peça para te esclarecerem. Agora, de antemão as empresas costumam cancelar o cartão ou liberar limite somente quando tiver a dívida paga.

  11. Olá boa noite. Fiz um acordo para quitar um cartão de crédito. O valor inicial foi 3982,00 pagar 20x de 246,00 reais. Ao final vai dá aí pouco mais de 4 mil reais. Gostaria de saber se é vantagem eu parar de pagar esse acordo e tentar uma renegociação para quitar o débito a vista. Tenho medo de parar de pagar o acordo, e minha conta com o banco triplicar o valor pela quebra de acordo. Quais as consequências de uma quebra de acordo? São muito alto os valores em consequências da quebra dele?

    • Arthur Dantas Lemos

      Rosana para afirmar com maior certeza precisaria entender quais foram os juros acordados e possíveis penalidades por conta da quebra. De antemão, sim, é possível fazer um novo acordo, mas recomendo você falar diretamente com seu credor e entender o que foi acordado, quais juros e se há possibilidade de quitação.

  12. Boa tarde Dr. Arthur ontem fiquei sabendo de um apontamento no serasa de 2009 do bradesco que conforme serasa caducou devido ao tempo, até esta dará não recebo nada com relação a essa conta que havia fechado em 2010 porém agora preciso vender um imóvel e o comprador vai fazer financiamento isso a trabalha a negociação.

    • Arthur Dantas Lemos

      Rivas, é importante conferir o seu Score Serasa para entender sua avaliação como cliente no mercado. Para isso, basta entrar no site da Serasa ou apenas pesquisas “Serasa Score” no Google e preencher com seus dados. Lá você conseguirá entender se tem uma boa pontuação e é visto como bom pagador pelas empresas. No caso de um resultado positivo, é importante agir para mudar essa realidade pagando suas contas em dia ou até mesmo antes do prazo.

  13. Victor Hugo e Silva Moreira

    Olá me chamo Victor Hugo, tenho a conta no BB e fui apenas ver como funcionava e de repente tava contratada essa opção de Reescalonamento eu vou tentar cancelar mais gostaria de saber se vou ter meu limite de volta?

    • Arthur Dantas Lemos

      Victor, nesse caso você precisa buscar essas informações com o próprio banco, que possui seus termos e condições particulares sobre esse serviço. Você pode explicar a situação e solicitar o retorno do seu limite para o seu gerente.

  14. Olá, fiz um Reescalonamento no banco do Brasil onde tenho 2 empréstimos consignado e a dívida do cartão, no acordo ficou os 3 em uma única parcela para descontar na conta corrente. Gostaria de saber se vão parar de descontar esses 2 empréstimos da minha folha de pagamento e se minha margem vai ficar livre novamente?

  15. Gerlandia rufino

    Bom dia
    Em 2018 realizei um reescalonamento de divida pelo BB.
    Paguei todas as parcelas. A última seria em junho de 2020, por motivos maiores só pude pagar no dia 17 de julho.

    Só que agora no sistema não consta nenhum boleto, nenhum acordo, nenhum dos boletos já pagados.
    Apenas a opção de um novo reescalonamento com o valor da dívida inicial de 2018, todos as parcelas que paguei até hoje não serviram de nada?

    Além de conta de débito automático que desconheço. Já que qualquer empréstimo era descontado por mês. E já tem mais de 2 anos que não realizo. Não tem sentido depois de 2 anos aparecer um débito de um empréstimo e apagar todos os boletos quer há havia pago.

    Só quero pagar a última parcela com os juros devidos.

    • Arthur Dantas Lemos

      Gerlandia, de fato é uma situação bem delicada, nesse caso, recomendo que você busque informações com próprio banco. Caso você esteja se sentindo lesada, procure ajuda no PROCON, não é normal que essas situações aconteçam.

  16. Fui verificar o reescalonamento do BB, para pagar CDC, Cartão de crédito e Cheque especial, a dívida é de 33.012,61.
    O valor total a pagar é: 172.673,28.
    Entrada: 2.605,24
    Parcelas: 1.798,68
    96X.
    O valor final é de 5x o valor da dívida, isso não pode estar correto.

    • Arthur Dantas Lemos

      Olá, Cristiane! O reescalonamento de dívidas é focado em driblar juros e oferecer uma renegociação com unificação de dívidas e novas opções de parcelamento. Não há questões sobre liberação de crédito. Recomendo no seu caso, renegociar com o Banco e entender quais as condições oferecidas.

  17. Carla de Paula Silva

    Olá fiz hj o reescalonamento da dívida do cartão de crédito do cheque especial e do empréstimo do banco do Brasil, em 4 vezes de 329,00 reais será depois que eu acabar de quitar terei o meu limite do cartão de crédito de volta e o empréstimo será disponível para mim

    • Arthur Dantas Lemos

      Carla, receio em dizer que não voltará seu limite, a menos que o banco estritamente tenha te falado que vai. No geral, por política de risco, eles não concedem empréstimo e nem liberam crédito após o reescalonamento.

  18. Boa noite, Arthur!
    Fiz o reescalonamento de dívida, este mês descontou a primeira parcela. Só que me arrependi por causa do valor auto da parcela,no app do banco tem a opção de cancelamento, porém, já tentei cancelar por esse meio, mas sem sucesso. Liguei na Agência, quem me atendeu falou que não tem como cancelar. Eu queria reduzir o valor das parcelas. Como assim não pode ser cancelado. Isso procede?

    • Arthur Dantas Lemos

      Ana, infelizmente você deveria ter negociado melhor ao fazer o acordo. Via de regra, nunca aceite uma proposta que você não consegue pagar, lembre-se é do interesse do credor receber algum valor de você, então, sempre tente negociar ao seu favor, aceite somente caso a parcela esteja dentro da sua realidade.

  19. Antônio Lira de Queiroz

    Boa tarde. A uns 5 anos atrás o BB me deu um desconto para eu pagar um divida do cartão de crédito, então eu paguei. Fiquei aliviado de não dever mais. Só que quando procurei os serviços do banco – no caso o Banco do Brasil, não posso mais usufruir dos servicos. Diz que só volto a ter os serviços quando eu devolver o desconto que eles me deram, ou seja, fiquei com restrição interna. Isso é correto? Obrigado.

    • Arthur Dantas Lemos

      Boa tarde Antônio, sim, infelizmente é uma política interna de cada banco, sugiro você procurar outra instituição, mas muito cuidado ao tomar crédito, fazer empréstimos e financiamentos, sempre busque o menor juros, compare instituições e ofertas.
      NUNCA, repito… NUNCA, aceite uma parcela que você não conseguirá pagar.

    • Arthur Dantas Lemos

      Tudo certo, Veronica?
      Recomendo que você verifique com a empresa do seu cartão. Mas, de antemão as empresas de cartão, geralmente, cancelam o cartão ou liberam o limite somente quando a dívida estiver paga.

  20. Oi Arthur,estava devendo algumas coisas no cartão de crédito e um empréstimo que fiz no banco BB.estava descontando normalmente no meu salário.so que minha esposa bem entender fez o reescalonamento e quando eu fui até agentencia pra cancelar não dava mais e fiz um novo contrato.mesmo pagando esse reescalonamento eu consigo fazer portabilidade pra outro banco? Pq
    além do valor da parcela o banco desconta valores ndevidos todo mes.e também perde cartão de crédito e os limites. Consigo fazer portabilidade e tentar um novo cartão de crédito em outros bancos?

    • Arthur Dantas Lemos

      Tudo certo, Deivison?
      É possível solicitar propostas de portabilidade em outras instituições financeiras, sempre que desejar. No entanto, os bancos não tem obrigatoriedade na emissão de propostas de portabilidade, especialmente quando o tamanho ou condições contratuais não são interessantes para eles.

      Caso receba uma proposta mais interessante, até mesmo para um crédito mais barato que possa quitar o contrato em aberto, poderá fazer essa migração. Importante aqui é entender todas as condições oferecidas pelas instituições financeiras, especialmente as linhas pequenas abaixo do contrato para que todas as cláusulas estejam muito claras.

    • Arthur Dantas Lemos

      Tudo certo, Elzira?
      Então, caso opte por reescalonar dívidas em um prazo mais longo, com parcelas menores que cabem no orçamento, a proposta pressupõe cobrança de juros em cada parcela. Por isso o saldo devedor é acrescido de juros, então não é que a dívida só aumenta. Abraços!

    • Arthur Dantas Lemos

      Então, Adriane! Sua situação é bem delicada, recomendo que você procure informações com a instituição financeira. Caso esteja se sentindo lesada, recomendo que você procure a ajuda do PROCON.

  21. Fiz uma conta salario no banco do brasil e depois de um tempo sai da empresa e não encerrei a conta, depois de um tempo o banco do brasil entrou em contato comigo dizendo que ia me colocar no Serasa, que eu dava com dívida de 209,00 $, entrei em contato com negociocao e vi que eles estavam cobrando taxa por mês, fiz um acordo que vai vencer dia 25 de setembro por telefone, quero saber se posso ir na agência para encerrar minha conta antes de cair o pagamento do acordo sendo que eu já depositei na conta, mas ainda não caiu, a atende disse que só cai no vencimento.

    • Arthur Dantas Lemos

      Tudo certo, Ereni? Para te orientar com uma maior precisão seria necessário entender quais os juros que foram acordados, mas recomendo que você busque conversar diretamente com a instituição bancária para compreender o que foi acordado e quais os juros.

Compartilhe conosco suas experiências

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *