Home Blog Reescalonamento de dívidas: como funciona?

Reescalonamento de dívidas: como funciona?

reescalonamento de dividas

A educação financeira é a chave para lidar com as dívidas e gerir melhor o seu orçamento. Por exemplo, saber o que fazer quando tiver um acúmulo de juros, entender processo de reescalonamento de dívidas, entre outros. 

Com o reescalonamento de dívidas é possível reduzir seu financiamento e até eliminar os juros existentes. Para isso, é preciso estar atento a alguns detalhes. 

O que significa reescalonamento de dívidas? 

Nada mais é do que fazer uma nova negociação para quitar uma dívida. Desse modo, o devedor consegue condições mais possíveis para limpar seu nome.  

Entre as opções de renegociação de dívidas, estão: 

  • Eliminação de juros;
  • Redução de juros;
  • Maior parcelamento. 

Como fazer para negociar dívidas com o banco? 

Atualmente, existe a possibilidade de renegociação de financiamento online. Entretanto, alguns especialistas recomendam que o processo ocorra pessoalmente ou por telefone. 

O motivo disso é a forma como a renegociação ocorre na internet. Pelo site da instituição, normalmente existem espaços que, ao serem preenchidos, fazem um cálculo automático do novo valor a ser pago. 

Uma desvantagem desse tipo de serviço é que ele não é aderente às necessidades pessoais do devedor. Por isso, fazer um reperfilamento de dívidas bancárias mais pessoal exige uma conversa direta com a instituição financeira.

Como pedir o reescalonamento de dívidas? 

É preciso entrar em contato com a instituição financeira responsável pelo financiamento. Porém, antes disso, é necessário saber o quanto você pode pagar. Dessa forma, fica mais difícil aceitar propostas que não sejam realistas com seu orçamento. 

Ao conversar com o banco, ele fará a primeira proposta. Essa primeira proposta geralmente não é a mais vantajosa. Por isso, é preciso ser realista e direto para contrapropor com um valor justo e que caiba no seu orçamento. 

Estabelecer um limite de quanto você pode pagar, seja à vista ou por mês, ajuda na busca pelo novo valor. Pedir o cancelamento dos juros também vale no reescalonamento. Cabe à instituição aceitar ou não. 

Proposta feita, e agora? 

Se o novo valor decidido está adequado às suas condições, é preciso estar atento na hora de assinar o novo contrato de negociação. 

Verificar irregularidades e taxas a mais é dever de quem vai assinar o contrato. Caso perceba alguma cobrança ou clausula indevida, denuncie aos órgãos de defesa do consumidor.  

Além disso, revise o cálculo da nova dívida e, se o pagamento for parcelado, se o valor final procede com o fechado em acordo. 

Vantagens do reescalonamento de dívidas 

São inúmeras as vantagens da renegociação de dívidas. Para quem não possui condições de pagar o valor atual de uma cobrança, o ideal é a realização de um novo acordo.  

Acabar com as dívidas é o primeiro passo para quem busca a transformação financeira.  

Para quem vai fazer uma renegociação de dívidas, é preciso ter algo claro em mente: não se deve fazer um acordo que você não irá cumprir.  

Esse tipo de atitude pode prejudicar a sua credibilidade e é injusto com a instituição financeira, seja ela qual for. 

Portanto, se o reescalonamento de dívidas é a melhor opção para você, siga esses passos. Ao cumprir o novo acordo financeiro, fique atento para não criar novos débitos. Evite isso ao se organizar, utilize por exemplo, a nossa planilha planejador financeiro mensal.

Escrito por

Especialista em Finanças Corporativas pela Fundação Getúlio Vargas. É formado pelo Programa de Profissionais do Mercado Financeiro da Bolsa de Valores de São Paulo e pelo Programa CVM de Professores para Mercado de Capitais, Avaliador de Empresas pela NACVA - National Association of Certified Valuators and Analysts (EUA). Fundou a Empreender Dinheiro para democratizar o acesso à Educação Financeira de Alto Poder Transformacional e já impactou diretamente mais de 50.000 pessoas em suas soluções educacionais.

Compartilhe conosco suas experiências

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *