Home Blog Seguro Condomínio: como funciona?

Seguro Condomínio: como funciona?

seguro condominio 1

O seguro condomínio é extremamente importante para a manutenção da segurança dos moradores e pode salvaguardar momentos difíceis que impactariam em suas finanças.

Para proteger contra incidentes ocorridos dentro do imóvel ou em áreas de convivência, é contratado o seguro condomínio.

O seguro condomínio serve como garantia para os moradores contra acidentes. Para isso, eles devem ocorrer dentro do seu espaço, seja ele o imóvel ou as áreas comuns de convivência.

O seguro condomínio é obrigatório?

seguro condominio

De acordo com o Art. 1.346 do Código Civil, o seguro para condomínio deve ser obrigatoriamente contratado.

Segundo essa lei, os condomínios residenciais, comerciais e mistos devem ser protegidos contra o risco de incêndio e destruição parcial ou total.

Ele deve ser contratado em até 120 dias após a regularização da moradia no local. Além disso, não se recomenda a moradia sem a cobertura do seguro condomínio.

Quem deve contratar o seguro condomínio?

É o síndico quem responde diretamente por qualquer irregularidade com o seguro condominial. Por isso, ele fica responsável pela contratação e renovação desse serviço.

Por ser considerada uma despesa ordinária, o seguro deve ser cobrado dentro da taxa condominial. Assim, o seu valor é dividido igualmente entre todos os moradores.

A lei determina que o síndico não possui obrigação de consultar os moradores na hora de contratar a cobertura do seguro condomínio.

Entretanto, se desejar por serviços extras que alterem o valor do serviço, deve informar a diferença.

Para que serve o seguro condominial?

O seguro condomínio serve para garantir a segurança de todos os moradores do local. Essa segurança deve, legalmente, abranger tanto as áreas privadas quanto as comuns.

Além disso, precisa ser feita visando as necessidades e riscos do condomínio e seus moradores.

Entre as situações cobertas pelo seguro condomínio, estão:

  • Incêndio;
  • Queda de raio;
  • Explosões;
  • Queda de aeronaves;
  • Fumaça;
  • Danos elétricos;
  • Quebra de vidros;
  • Impacto de veículos.

Por isso, se possível, vale a pena contratar um seguro com apólices mais abrangentes, dependendo do caso.

Como funciona a cobertura do seguro de condomínio?

A lei determina a obrigatoriedade da cobertura básica dos seguros para condomínios. Entretanto, as seguradoras possuem diversas opções que podem servir ainda mais para cada espaço.

Isso porque, dependendo do espaço, se variam os riscos e necessidades dos moradores e funcionários do condomínio.

Na cobertura básica simples, a seguradora oferece apenas o reembolso de prejuízos determinados em lei. Entre eles, estão: incêndio, queda de raio e possíveis explosões.

Já na cobertura ampla, que varia entre as seguradoras, é oferecido o ressarcimento contra danos materiais mais abrangentes. Entre eles, estão: alagamentos, desmoronamento e danos causados por vendavais.

Por isso, cabe ao síndico entrar em acordo com os moradores para que seja decidida a melhor opção para todos.

É preciso lembrar que os prejuízos causados por esses acidentes podem ser muito maiores que o valor pago pelo seguro. Dessa forma, vale a pena investir na segurança de todo o espaço.

Qual a diferença entre seguro residencial e condominial?

O seguro de condomínio oferece proteções a todo o terreno, incluindo as moradias e os espaços de convivência.

O seguro residencial, como o nome já diz, é direcionado para os espaços privados. Assim, mesmo dentro de um assegurado, é possível contratar o seguro para imóvel.

Por exemplo, no caso de um acidente, o seguro condominial garantirá o ressarcimento financeiro para o espaço lidar com os danos causados.

Já o seguro residencial se encarregará de manter o pagamento do aluguel durante a sua reconstrução.

Quais os cuidados a serem tomados na hora de contratar o seguro de condomínio?

Existem algumas condições do seguro condomínio que orientam o assegurado a agir corretamente.

Isso porque, em alguns casos, algumas atitudes podem representar grandes prejuízos para todos os moradores, como por exemplo:

  • Contratar reparos sem autorização da seguradora;
  • Omitir incidentes;
  • Mentir sobre valores e orçamentos.

Tais atos podem ocasionar o pagamento de multas pelo síndico ou até mesmo o cancelamento do contrato com a seguradora. Deixando assim todo o condomínio desprotegido.

Por isso, para evitar prejuízos financeiros, quem contratar o seguro condomínio deve estar atento à todas as condições estipuladas. Assim, poderá garantir a melhor proteção possível para todos os moradores. Acompanhe a nossa carta do fundador com conteúdos diários e gratuitos!

Escrito por

Especialista em Finanças Corporativas pela Fundação Getúlio Vargas. É formado pelo Programa de Profissionais do Mercado Financeiro da Bolsa de Valores de São Paulo e pelo Programa CVM de Professores para Mercado de Capitais, Avaliador de Empresas pela NACVA - National Association of Certified Valuators and Analysts (EUA). Fundou a Empreender Dinheiro para democratizar o acesso à Educação Financeira de Alto Poder Transformacional e já impactou diretamente mais de 50.000 pessoas em suas soluções educacionais.

Compartilhe conosco suas experiências

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *