Home Blog Sistema de Amortização Misto: entenda como funciona o SAM

Sistema de Amortização Misto: entenda como funciona o SAM

sistema de amortizacao misto

Na hora de fazer um financiamento ou empréstimo de imóveis e veículos, algumas instituições financeiras oferecem o sistema de amortização misto, sistema de amortização constante e/ou sistema PRICE. Cada um deles é desenvolvido para o pagamento das dívidas.

O sistema de amortização misto funciona como uma combinação entre o sistema SAC e PRICE. Na amortização constante SAC, as parcelas da dívida têm valor de amortização constantes durante o financiamento. Já no PRICE, as parcelas têm valor inicial menor que o SAC e são constantes.

Então, o sistema de amortização misto (SAM) é uma junção dos sistemas SAC e PRICE. Dessa forma, ele faz o igual ao SAC e apresenta uma amortização (diminuição da dívida) crescente com um valor de parcelas quase iguais, similar ao sistema PRICE.

Entenda como funciona o sistema de amortização misto

A amortização é o processo de quitação de uma dívida, esse é um termo amplamente usado em financiamentos em geral de bens de consumo e em empréstimos.

No caso, a amortização é uma parte da parcela que, geralmente, corresponde ao “maior valor” e é referente a devolução do valor emprestado ou financiado. Contudo, na amortização, não há acréscimo de juros.

Portanto, em uma parcela de financiamento ou empréstimo, haverá: a amortização + juros = valor total da parcela (sendo o juro relativo ao valor principal ou total requisitado).

Como funciona o sistema de amortização misto?

Existe algumas formas de pagamento ou sistemas, não somente o SAM. Sendo assim, é possível listar três tipos de sistema de amortização usados no Brasil, entre eles:

  • O sistema SAC, apresenta amortização contínua, ou seja, apresenta valores menores a cada parcela devido à baixa do juro. Essa baixa acontece, pois, os juros são calculados com base no valor principal, então, a cada parcela o valor tende a decrescer;
  • O sistema PRICE (Francês), apresenta parcelas de valor constante, cada prestação tem um valor igual. Nele, o saldo devedor não diminui tão rápido quanto do SAC e o PRICE mantém uma taxa de juros decrescente, porém, mais caro em alguns casos;
  • O sistema amortização SAM, apresenta parcelas baseadas na soma das parcelas do sistema PRICE e SAC, dividindo-os por dois. Assim, mantém uma parcela de valor constante e apresenta amortização também em média constante.

Em conclusão, o sistema SAC, apresentaria o melhor custo benefício a longo prazo.

No segundo lugar estaria o sistema SAM, com parcela e amortização em valor constante, assim, garantindo um preço acessível.

Por último, o PRICE, popularmente conhecido como Tabela PRICE, é o método mais dispendioso devido a taxa de juros.

Sistemas de amortização fora do Brasil

Além dos três já citados existem dois que são populares e os brasileiros tendem a se deparar mais quando o assunto é a taxa mensal e amortização. São eles:

Sistema americano

O Sistema Americano de Amortização (SAA) é pouco usual no Brasil, mas algumas modalidades de empréstimo podem empregá-lo.

No caso, a amortização do sistema americano se dá no final do prazo acordado, ou seja, o indivíduo só quita sua dívida, de fato, no último mês, por exemplo:

  • Felipe pegou emprestado de Camila R$1.000 reais e irá pagar uma taxa mensal de juros correspondente a 3% a.m. (ao mês);
  • O acordo foi estabelecido para durar 12 meses;
  • 3% de 1.000 = R$30 (que serão compensados todo dia 30 do mês em questão);
  • Ou seja, Felipe pagará R$30 durante 11 meses e no 12 mês, ele irá pagar R$1.030 (a depender do dia em que foi acordado e do pagamento);
  • Para evitar pagar esse juro da última parcela, ele poderia pagar antes do prazo de compensação (antes do dia 30), assim, o último valor R$30 no mês 12, não seria cobrado;
  • Ou seja, no total Felipe pagou 11 vezes R$30 + R$1.030 = R$1360 no final.

Portanto, o SAA é ideal para quem pretende quitar a dívida rapidamente, pois, caso você pague com antecedência esse valor cobrado de juros é diminuído.

Imagine, se Felipe pagasse R$500 no mês 6, por exemplo, a parcela do mês 7 ao invés de R$30 que seria o valor de 3% sobre os mil reais, viria R$15 que é o valor de 3% sobre os R$500 reais restantes.

Sistema alemão

O Sistema Alemão de Amortização (SA) não é muito aplicado no Brasil, porém, há alguns financiamentos que podem utilizá-lo.

No caso, a amortização do sistema alemão é crescente, cada mês se paga uma maior porcentagem de amortização, mas, tem uma baixa de juros a cada mês, por exemplo:

ParcelaAmort.JurosPagtosSaldo
030.0030.001,000.00
170.0927.9097.99929.91
272.2625.7397.99857.65
374.4923.4997.99783.16
476.8021.1997.99706.36
579.1718.8297.99627.18
681.6216.3797.99545.56
784.1513.8497.99461.42
886.7511.2497.99374.67
989.438.5697.99285.24
1092.205.7997.99193.04
1195.052.9497.9997.99
1297.990.0097.990.00

Portanto, no sistema alemão os juros são pagos em prestações de forma antecipada.

Porém, o valor das de cada prestação se mantém igual, sendo assim, ele é um sistema ideal para pagar parcelas com valores conhecidos e ainda ter juros percentualmente menores no longo prazo.

Nesse caso, a única exceção desse sistema é que em alguns casos o primeiro pagamento é cobrado o juros do momento (não sendo um valor fixo, como o adotado acima).

Vantagens do sistema de amortização misto

O SAM pode não ser o melhor método de amortizar uma dívida.

Em alguns casos, se o indivíduo tem condições de arcar com parcelas um pouco mais altas no início, o custo e benefício melhor é o do sistema SAC.

Porém, entre as vantagens do sistema de amortização misto estão:

  • A amortização mista apresenta valores menores que o sistema PRICE, já que o sistema Francês (PRICE) tem amortização crescente;
  • É vantajoso se não for possível arcar com parcelas altas logo no início de um financiamento ou empréstimo, como no sistema SAC.
  • O sistema de amortização SAM se torna a melhor opção, pois, ele apresenta parcelas constantes e amortização melhores.

Contudo, os sistemas são ofertados de acordo com cada instituição financeira ou banco.

Então, antes de tudo, é preciso consultar se o sistema é disponibilizado pela instituição e se ater ao custo efetivo total da operação (valor total pago pelo empréstimo ou financiamento).

Entender os diversos sistemas de amorfização é um aprendizado necessário dentro da educação financeira, podendo ajudar ao consumidor escolher a opção de financiamiento mais vantajosa, por exemplo.

O sistema de amortização misto é uma opção viável devido sua parcela constante, consequentemente, solidez no valor mensal e amortização melhor. Mas, para além do SAM, é preciso optar por aquele que se encaixa no seu perfil e necessidade.

Escrito por

Especialista em Finanças Corporativas pela Fundação Getúlio Vargas. É formado pelo Programa de Profissionais do Mercado Financeiro da Bolsa de Valores de São Paulo e pelo Programa CVM de Professores para Mercado de Capitais, Avaliador de Empresas pela NACVA - National Association of Certified Valuators and Analysts (EUA). Fundou a Empreender Dinheiro para democratizar o acesso à Educação Financeira de Alto Poder Transformacional e já impactou diretamente mais de 50.000 pessoas em suas soluções educacionais.

Compartilhe conosco suas experiências

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *