Sociedade de Crédito ao Microempreendedor: entenda como funciona!

sociedade de credito ao microempreendedor

A Sociedade de Crédito ao Microempreendedor contribui para a ampliação do acesso ao crédito por microempreendedores e pessoas jurídicas.

Supervisionada pelo Banco Central, a Sociedade de Crédito ao Microempreendedor possui condições facilitadas em seu processo.

O processo da Sociedade de Crédito ao Microempreendedor, assim como suas operações, é bastante simples. Isso acontece, pois o objetivo é estimular o crédito para os seus segmentos de atuação.

Como funciona a Sociedade de Crédito ao Microempreendedor?

sociedade-de-credito-ao-microempreendedor

A Sociedade de Crédito ao Microempreendedor e à Empresas de Pequeno Porte concede empréstimos e financiamentos mais baratos.

Entretanto, essa facilidade oferecida pela SCM está no processo de aprovação e baixo valor das operações.

Esse tipo de crédito é oferecido à pessoas jurídicas (empresas de pequeno porte) e microempresas.

Dessa forma, são viabilizados empreendimentos de natureza profissional, comercial ou industrial.

Qual a influência do Banco Central nas Sociedades de Crédito?

O Banco Central do Brasil é responsável por supervisionar algumas ações para o crédito ao microempreendedor, como:

  • Autorização e cancelamento de funcionamento;
  • Reorganização societária;
  • Eleição de membros.

Essas instituições podem ser constituídas de duas formas diferentes: companhia fechada ou sociedade limitada. Dessa forma, não podem ser consideradas um banco.

Quais os produtos e serviços oferecidos pelas Sociedades de Crédito?

O foco desse tipo de instituição financeira é a concessão de financiamentos e oferecimento de garantias econômicas.

Os produtos e serviços oferecidos pela Sociedade de Crédito são direcionados a:

  • Microempreendedores;
  • Pessoas jurídicas com empresas de pequeno porte;
  • Pessoas físicas responsáveis legalmente por empresas.

Além disso, as SCM concedem aplicações no caixa financeiro a partir de depósitos e também fazem repasses econômicos.

Quais as limitações da Sociedade de Crédito ao Microempreendedor e à Empresas de Pequeno Porte?

O Banco Central, além de gerenciar o funcionamento, limita algumas ações concedidas pelas Sociedades de Crédito.

As SCM são proibidas de captar recursos do público por meio da emissão de títulos e valores imobiliários.

Além disso, são vedados:

  • Empréstimos com objetivo de consumo;
  • Participação societária em outras instituições.

Quais as vantagens da Sociedade de Crédito ao Microempreendedor?

Essas instituições financeiras são direcionadas para os microempreendedores e pequenas empresas.

Isso significa que os valores das operações são bem mais baixos que os do mercado, com o objetivo de impulsionar o acesso ao crédito.

Entre outras vantagens do microcrédito, estão:

  • Capital de giro momentâneo;
  • Assessoria posterior ao crédito;
  • Taxa de juros menores que as do mercado;
  • Processo de concessão simplificado.

Por isso, elas são bastante recomendadas para negócios que procuram por um empréstimo mais barato.

Quais cuidados devem ser tomados ao adquirir crédito?

A solicitação de crédito muitas vezes é importante para o desenvolvimento de empresas. Entretanto, é fundamental que haja um bom planejamento para garantir o bom uso desse dinheiro.

Quando bem utilizado, o empréstimo ajuda no alcance de oportunidades do mercado. Isso garantirá que a empresa gere a receita necessária para quitar a dívida e obter lucro.

Além disso, o empreendedor precisa ter noções de gestão empresarial. Isso o ajudará a separar as finanças pessoais do caixa da empresa e a investir para ampliar resultados.

Assim, o crédito concedido pela Sociedade de Crédito ao Microempreendedor trará grandes resultados para o negócio. Acompanhe a nossa carta do fundador com conteúdos diários e gratuitos!

Acesso rápido

Compartilhe:

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Arthur Dantas Lemos

Arthur Dantas Lemos

Especialista em Finanças Corporativas pela Fundação Getúlio Vargas. É formado pelo Programa de Profissionais do Mercado Financeiro da Bolsa de Valores de São Paulo e pelo Programa CVM de Professores para Mercado de Capitais, Avaliador de Empresas pela NACVA - National Association of Certified Valuators and Analysts (EUA). Fundou a Empreender Dinheiro para democratizar o acesso à Educação Financeira de Alto Poder Transformacional e já impactou diretamente mais de 50.000 pessoas em suas soluções educacionais.

Comentários:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimos artigos