Spin-off empresarial: entenda o que é e como ele funciona!

spin off

O Spin-off corporativo é um termo pouco utilizado no mercado financeiro. No entanto, ele é um processo bastante comum dentro das empresas.

Geralmente, o Spin-off ocorre para atender um crescimento de demandas de serviços ou produtos que se distancia do core business da empresa.

Mas o que é o Spin-off, afinal?

Spin-off

O Spin-off empresarial nada mais é do que um processo de criação de uma empresa a partir de uma outra já existente.

Essa prática de derivação costuma ser sinônimo de sucesso dentro do mercado, já que, além do plano principal, outros setores começam a se destacar. Assim, desenvolvendo a necessidade de um novo plano de negócios.

Essa nova criação pode resultar em uma empresa ou até startup. Assim, possibilitando que a empresa-mãe não se distancie de seu foco principal e continue a se desenvolver.

Esse processo também costuma ocorrer dentro de universidades, quando um estudante cria um plano de negócios a partir de um projeto. Assim, ele recebe apoio financeiro da instituição para a criação de uma companhia.

Nas empresas, ele pode ocorrer por diferentes motivos, como uma oportunidade de vendas ou destaque de um setor.

Esse processo é bastante comum no mundo do entretenimento, quando personagens secundários acabam ganhando um longa próprio nos cinemas.

Quando o Spin-off ocorre?

O Spin-off surge a partir da obtenção de resultados expressivos a partir do desenvolvimento de negócios.

Nesses casos, muitas vezes produtos ou serviços secundários acabam ganhando  o gosto do público, necessitando de uma atenção especial.

Essa realidade representa uma grande oportunidade para os empreendedores que, a partir de pesquisas, descobrem negócios em potencial.

Quais os motivos para fazer o Spin-off?

Em uma grande corporação, com processos definidos e bem estruturados, muitas vezes fica complicado inovar.

Por isso, a estratégia de empreendedorismo conhecida como “Spinoffar” aproveita os conhecimentos da empresa existente para criar um novo negócio.

Entre alguns motivos para empresas fazerem Spin-off, estão:

  • Estratégias financeiras;
  • Geração de valor;
  • Aproveitamento de nichos;
  • Facilidade de inovação;
  • Retenção de talentos.

Assim, a estrutura e o legado do negócio principal são preservados, ao mesmo tempo em que a empresa ajuda na implementação do novo projeto.

Qual a relação entre Spin-off e Startups?

No mercado atual, as startups têm representado cada vez mais um espaço de inovação e geração de receitas.

Isso ocorre, pois elas são caracterizadas por um modelo de negócios passível de escalabilidade, ou seja, replicável.

É bastante comum que as Startups sejam confundidas com o Spin-off. No entanto, enquanto a Startup surge de uma nova ideia, o Spin-off é uma derivação de algo já existente.

Ou seja, aproveita conhecimentos e recursos disponibilizados pela empresa principal.

E qual a diferença entre o Spin-off e a Franquia?

A Franquia é uma espécie de autorização para a utilização de uma marca ou tecnologia existente.

Dentro do empreendedorismo, ela representa uma grande oportunidade para a abertura de um negócio de forma mais segura.

No entanto, ela é diferente do Spin-off, já que, comparada ao negócio original, ela é uma reprodução, enquanto o Spin-off, um novo produto.

Qual o momento certo para fazer Spin-off?

Quando uma empresa percebe a possibilidade de crescimento do negócio a partir do destaque de um produto ou serviço, é preciso ficar de olho.

Esse pode ser o momento ideal para o desenvolvimento desse projeto de maneira isolada da empresa-mãe.

No entanto, antes disso, é preciso observar alguns pontos importantes:

O ideal é que o Spin-off seja feito quando um produto começa a ofuscar os itens principais da empresa.

Caso ele seja feito com um produto principal, a empresa irá se prejudicar por perder sua força motora.

Como exemplos de Spin-off de empresas, temos:

  • Seguros de bancos;
  • Programas de fidelidade;
  • Holding empresarial.

Quais os benefícios do Spin-off?

Sem dúvidas, o Spin-off oferece inúmeras vantagens tanto para as empresas quanto para seus clientes.

Para a empresa-mãe, fica possível manter o foco em seu core business e demais produtos. Fazendo, assim, que elas consigam aumentar sua competitividade ao explorar novos setores e tecnologias.

Já as novas empresas têm seu desenvolvimento apoiado pela experiência de mercado e recursos financeiros do negócio principal.

Com isso, os clientes recebem produtos cada vez mais desenvolvidos e focados em seu benefício, tudo isso sem prejudicar o serviço original.

Por isso, para não prejudicar o “time que já está ganhando”, pode valer a pena fazer um Spin-off. Acompanhe a nossa carta do fundador, com conteúdos diários e gratuitos!

Acesso rápido

Compartilhe:

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Arthur Dantas Lemos

Arthur Dantas Lemos

Especialista em Finanças Corporativas pela Fundação Getúlio Vargas. É formado pelo Programa de Profissionais do Mercado Financeiro da Bolsa de Valores de São Paulo e pelo Programa CVM de Professores para Mercado de Capitais, Avaliador de Empresas pela NACVA - National Association of Certified Valuators and Analysts (EUA). Fundou a Empreender Dinheiro para democratizar o acesso à Educação Financeira de Alto Poder Transformacional e já impactou diretamente mais de 50.000 pessoas em suas soluções educacionais.

Comentários:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimos artigos