O que é spread bancário? Por que ele é tão alto no Brasil?

spread bancario

O spread bancário é algo que afeta a dinâmica econômica de qualquer país. E normalmente os países tendem a manter esse valor baixo.

Entretanto, no Brasil, os spreads bancários são aproximadamente 5 vezes maiores que a média global. É muito importante, então, entender porque isso ocorre e como isso afeta a economia do país.

O que é spread bancário?

Antes de discutir seus efeitos no Brasil, é necessário entender o que é o Spread bancário. Os spreads são as diferenças entre o valor que o banco paga ao aplicador e quanto o banco cobra para conceder empréstimos.

Por exemplo, quando você aplica seu dinheiro em um título de renda fixa de determinado banco, ele pode pagar uma taxa de captação de 6% para o investidor. Por outro lado, se você procurar por um empréstimo pessoal, o mesmo banco pode cobrar uma taxa de juros de 20%.

Portanto, para calcular spread bancário, é necessário apenas estar atento a diferença entre os juros bancários cobrados a quem procura por empréstimos e os juros pagos a quem aplicou dinheiro no banco.

Essa diferença cobrada pelo banco, é usada para pagar o rendimento do investidor, arcar com os custos da instituição financeira e, claro, obter lucro.

Composição do spread bancário

Mas, para ficar mais claro o porquê que o spread bancário é tão alto, é necessário entender como ele é composto.

  1. Risco de inadimplência: esse custo é uma estimativa de quanto o banco deixaria de receber em função da falta de pagamento dos empréstimos por parte dos clientes;
  2. Margem Líquida: é a margem de lucro do banco;
  3. Impostos diretos: são a junção das despesas que o banco tem em relação ao imposto de renda;
  4. Depósito compulsório e encargos: gastos envolvidos a exigências do banco central e obrigações;
  5. Custos administrativos: são as despesas do banco em geral. Por exemplo, pagamento de salários, publicidade e propaganda, investimentos, etc.

Ou seja, é possível perceber que a “culpa” dos altos spreads bancários no Brasil é dos altos recebimentos esperados pelos bancos, mal pagamentos de dívidas por parte do consumidor, impostos altos e, também, alguns motivos que não fazem parte diretamente da composição do spread como:

  • Taxa Selic: a taxa básica de juros influência diretamente a economia. Ela é responsável por aumentar a inadimplência e os custos de captação, por exemplo;
  • Baixa concorrência entre os bancos: o mercado bancário é extremamente concentrado, permitindo que os poucos grandes bancos possam controlar os preços.

Consequências causadas pelos altos spreads bancários

As consequências dos altos spreads bancários afetam diretamente o consumidor e investidor brasileiro.

Primeiramente, ao solicitar empréstimos, principalmente quando se trata de cartões de créditos e cheque especial, o consumidor brasileiro precisa pagar altíssimas taxas de juros.

Já pelo lado do investidor, ao recorrer a investimentos de renda fixa, como o CDB de bancos, os rendimentos oferecidos são baixíssimos quando comparados aos juros cobrados nos empréstimos.

Por fim, para incentivar o consumidor, as taxas pagas pelo banco deveriam ser mais atrativas e os empréstimos mais baratos, reduzindo assim o spread bancário. Isso, poderá acontecer com a diluição do mercado bancário e um redução e controle das taxas de juros. Mais conteúdos de educação financeira? Inscreva-se no nosso Whatsapp.

Acesso rápido

Compartilhe:

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Arthur Dantas Lemos

Arthur Dantas Lemos

Especialista em Finanças Corporativas pela Fundação Getúlio Vargas. É formado pelo Programa de Profissionais do Mercado Financeiro da Bolsa de Valores de São Paulo e pelo Programa CVM de Professores para Mercado de Capitais, Avaliador de Empresas pela NACVA - National Association of Certified Valuators and Analysts (EUA). Fundou a Empreender Dinheiro para democratizar o acesso à Educação Financeira de Alto Poder Transformacional e já impactou diretamente mais de 50.000 pessoas em suas soluções educacionais.

Comentários:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimos artigos