Stock Picking: entenda essa estratégia nos investimentos!

STOCK PICKING

O Stock Picking é conhecido por ser uma operação comum nos fundos de investimento em ações. 

Quando um investidor faz um Stock Picking, significa que ele está investindo em ativos de menor preço com objetivo de vendê-los no momento em que eles passarem por uma valorização.

Essa estratégia pode ser considerada avançada, portanto, pode ser interessante para o investidor conhecer a prática e saber se essa é a melhor opção para o seu perfil de investimentos.

O que é stock picking?

Primeiramente, Stock Picking é uma estratégia de investimentos em que o investidor seleciona ações com objetivo de lucrar com sua valorização.

Ou seja, o investidor analisa o potencial de retorno, bem como o risco que envolve a aplicação e escolhe quais os melhores papéis para investir. Em inglês, Stock é o termo usado para designar as ações de companhias norte-americanas, enquanto Picking traduz-se como “seleção”.

Desse modo, é necessário conhecer o mercado acionário, assim como ter experiência nas negociações de ativos na Bolsa de Valores.

Isso porque para escolher a melhor opção de acordo com o método do Stock Picking, é preciso estudar o posicionamento das ações e saber qual o momento ideal para fazer alterações.

O que é Bolsa de Valores?

A bolsa de valores é o ambiente de negociação onde investidores podem comprar e vender diversos ativos. A princípio, a Bolsa tratava-se de um local onde se negociavam apenas valores mobiliários, no entanto, com o passar do tempo, as transações ampliaram-se.

Hoje, além de ações, também negociam-se na Bolsa ativos como:

  • ETFs;
  • Derivativos;
  • Opções;
  • Fundos de investimentos (imobiliários, multimercado, ações).

O objetivo do Stock Picking é escolher ações que têm potencial para apresentar rendimentos acima da média de mercado. A prática dessa seleção pode exigir experiência na negociação dos ativos na Bolsa. 

Desse modo, existem investidores que preferem delegar essa função de análise a gestoras de investimento. 

Ademais, o Stock Picking é uma tática usada por fundos de investimento em ações.

O que são fundos de investimento?

Um fundo de investimento é um tipo de aplicação mediada por uma instituição financeira, que constitui uma carteira de ativos para seus clientes. 

Esses fundos são administrados pelos gestores de fundos, profissionais com grande experiência no mercado. Eles são responsáveis por criar carteiras de investimento personalizadas de acordo com o perfil de investimento de cada cliente.

Os fundos são oferecidos por administradores que disponibilizam cotas para a captação de recursos. Portanto, ao adquirir uma cota, o investidor paga um valor mensal para a administração, conforme regras preestabelecidas pela instituição.

As instituições responsáveis pela regulamentação dessas operações são a Comissão de Valores Imobiliários (CVM) e a Anbima.

Além disso, a tática do Stock Picking opera como uma estratégia de gestão ativa de investimento. Esse tipo de gestão busca obter um rendimento superior ao da Bolsa.

Qual a diferença entre gestão ativa e gestão passiva de investimentos?

A gestão ativa procura superar a rentabilidade registrada pelo índice de referência conhecido como  benchmark. Isso acontece por meio da seleção de ações que possuem maior potencial de crescimento no mercado.

Os fundos de gestão ativa podem ser mais recomendados para os investidores moderados ou arrojados, que estão dispostos a correr certo risco em busca de mais lucro.

Já na gestão passiva o investidor tem como objetivo acompanhar o benchmark do mercado. Ou seja, ele busca o mesmo desempenho que o do mercado. Para isso, o investidor segue algum índice de referência, como por exemplo o Ibovespa, principal indicador da B3, a Bolsa de Valores Brasileira.

Para fazer a seleção das ações com grande potencial de rendimento, o investidor pode fazer uso de diversos tipos de análise, até mesmo a sua

Quais as análises mais usadas no Stock Picking?

Entre as mais conhecidas análises usadas na seleção, estão a análise fundamentalista, análise técnica e o value investing. 

Análise Fundamentalista

A análise fundamentalista é o estudo aprofundado sobre a economia, mercado e setor no qual uma empresa está inserida. Além disso, esse método também é o estudo do negócio, seu potencial de rentabilidade e saúde financeira.

Para isso, a análise faz uso de indicadores fundamentalistas, bem como estudos macroeconômicos e microeconômicos. Esse método pode ser mais eficiente para investimentos e rendimentos de longo prazo.

Nesse tipo de análise, são usadas diversas informações para auxiliar a tomada de decisão, como por exemplo:

  • Lucro líquido;
  • Taxa de crescimento no mercado;
  • Competidores do negócio;
  • Perenidade do setor;
  • Situação econômica do país;
  • Potencial de crescimento;
  • Crescimento da receita do negócio.

Além da análise fundamentalista, os investidores também podem usar da análise técnica para a estratégia de seleção de ações. 

Análise Técnica

A análise técnica, também conhecida como análise gráfica, trata-se de um meio de entender as oscilações na cotação das ações por meio da análise de gráficos e dados. Esse método tem como intuito identificar quais são as tendências das ações no mercado. 

Ou seja, considera-se a análise técnica como a observação do comportamento dos preços de uma ação no mercado.

Além disso, esse tipo de estudo é mais voltado para operações de curto prazo, por isso, a maior parcela de investidores que utilizam esse método são day traders.

Ademais, não recomenda-se o uso da análise técnica como único indicador, o ideal seria aliá-lo à análise fundamentalista. Isso porque as duas abordagens unificadas podem fornecer uma análise completa. 

Por exemplo, a análise fundamentalista sendo o estudo sobre a confiabilidade da empresa e a análise técnica como a avaliação do comportamento dos ativos no mercado.

Value Investing

De modo objetivo, o value investing significa investir em valor. O Value Investing trata-se de  uma estratégia de investimento que tem como objetivo a compra de ações de empresas que estão desvalorizadas. 

Desse modo, ele leva em conta o potencial futuro da empresa, não o valor atual do mercado. Assim, investidores que usam esse método compram, abaixo do custo, ações de uma empresa que no cenário atual está em baixa, mas que a longo prazo, pode resultar em lucro.

Vale a pena usar a estratégia do Stock Picking?

Primeiramente, é importante destacar que o objetivo de quem usa a tática de Stock Picking é selecionar ações para investir em companhias com preços de oportunidade. Ou seja, a ação precisa apresentar um potencial de valorização.

Isso porque a finalidade do Stock Picking é vender a ação por um preço superior ao que comprou-se. Assim, o ideal é que o investidor conheça seu perfil e seus objetivos financeiros para reconhecer se esse tipo de seleção é uma boa estratégia.

Acesso rápido

Compartilhe:

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Arthur Dantas Lemos

Arthur Dantas Lemos

Especialista em Finanças Corporativas pela Fundação Getúlio Vargas. É formado pelo Programa de Profissionais do Mercado Financeiro da Bolsa de Valores de São Paulo e pelo Programa CVM de Professores para Mercado de Capitais, Avaliador de Empresas pela NACVA - National Association of Certified Valuators and Analysts (EUA). Fundou a Empreender Dinheiro para democratizar o acesso à Educação Financeira de Alto Poder Transformacional e já impactou diretamente mais de 50.000 pessoas em suas soluções educacionais.

Comentários:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimos artigos