Home Blog Swing Trade: o que é e como funciona?

Swing Trade: o que é e como funciona?

swing trade

Quem quer iniciar no mundo dos investimentos, se depara com diversos conceitos. Alguns deles, voltados para definições e outros, para estratégias, como é o caso do ‘swing trade’, por exemplo.

Isto quer dizer que, o swing trade, é uma técnica comum que alguns investidores utilizam para operar na Bolsa de Valores.

O que é swing trade?

swing trade 1

O swing trade é uma estratégia de aplicação que mescla a análise fundamentalista e a análise técnica.

Assim, o investidor que atua nesse formato, consegue acompanhar as oscilações dos produtos no mercado de capitais.

Essa modalidade tem maior enfoque no curto e médio prazo. Ao contrário das outras duas principais estratégias: o position (buy and hold), que sugere que o investidor retenha a ação (também pode ser outro tipo de investimento), pelo maior tempo possível e, diferente também, do day trade, que é focado em atividades de curtíssimo prazo.

Qual a diferença de swing trade e day trade?

É comum existir confusão sobre esses dois tipos de conceitos, afinal, ambos são voltados para metas de um prazo mais reduzido.

No entanto, day trade e swing trade não significam a mesma coisa!

Antes de indicar as principais diferenças entres os dois, é essencial ressaltar que, mesmo para aqueles que já possuem algum tipo de experiência e conhecimento no mercado financeiro, essas estratégias são de alto risco.

Isso acontece porque, a renda variável, como o próprio nome sugere, é algo que tem bastante oscilação. E, além disso, o passado não indica repetição futura. Diferente da renda fixa, onde se pode ter uma maior previsibilidade.

Por exemplo, se um investidor se baseia em desempenhos passados de um papel para fazer investimentos atuais, ele pode acabar perdendo o dinheiro aplicado.

Porque, por mais que possa existir uma tendência de mercado, existem também outras variáveis que influenciam na valorização e/ou desvalorização de investimentos.

Portanto, esses dois tipos de métodos são voltadas, especialmente, para aqueles que têm uma disponibilidade de risco maior e que estão, de certa forma, acostumados com grandes oscilações.

Então, além dos fatores internos e externos sobre os próprios produtos, subiste também sobre o investidor, diversos vieses. E, sim, a emoção pode influenciar de maneira significativa a ausência de assertividade em um emprego financeiro.

Day trade

funcionamento de day trade é voltado para o curto prazo, como dito anteriormente. Esse tipo de estratégia envolve a compra e a venda de ativos realizados no mesmo dia.

A análise que o investimento em day trade utiliza é em técnica, chamada também de análise gráfica. Ou seja, o investidor acompanha alguns gráficos referentes a aquele ativo que se deseja comprar ou vender e, com base no seu processo (desvalorização/valorização), supõe um melhor momento para efetivar o processo (venda/compra).

day trader costuma realizar aplicações com volumes altos.

Dessa forma, as suas possibilidades de ganho de capital aumentam sobre o valor investido. No entanto, esse é um caminho com duas possibilidades: grandes ganhos e grandes perdas.

Swing trade

Ao contrário do day trade, o swing trade não tem foco em compra e venda de ativos no mesmo dia.

Essa é uma operação voltada para o curto e médio prazo, no entanto, ainda é baseada em especulação. Assim, o swing trader pode fazer avaliações baseada nas duas principais análises de investimentos: fundamentalista e técnica.

Ao contrário do day, o swing trade tem a vantagem de maior margem para erro. Isso acontece porque, nessa modalidade, o investidor “dorme” com os ativos.

Ou seja, ele mantém aquela posição por alguns dias, antes de realizar a sua venda, podendo prever o seu limite de prejuízo ou margem de rentabilidade.

Como dito, ambas as estratégias (swing e day) são focadas em suposições, ou seja, é indispensável fazer um gerenciamento, não apenas dos valores e onde será investido, mas também, das emoções, já que todas essas situações podem influenciar negativamente nos resultados finais.

Vale a pena fazer swing trade?

Não existe certo ou errado nos investimentos, afinal, cada investidor sabe das suas próprias vontades e limitações.

Por isso, é básico conhecer sobre o mercado em que se deseja começar a fazer aplicações, independente de qual seja a estratégia.

No entanto, é visível que esse tipo de método traz maiores riscos ao investidor que precisa lidar com outras funções no seu dia a dia.

Geralmente, quem costuma operar nesse tipo de metodologia são investidores profissionais, ou seja, que trabalham com isso.

Afinal, é preciso despender maior tempo para acompanhar as movimentações diariamente (para encontrar o melhor momento de compra e venda).

É possível, sim, ter ganhos significativos no mercado de capitais utilizando esse tipo de método. Mas, as perdas também podem ser relevantes e expressar uma perda sólida, prejudicando até, a qualidade de vida do swing trader.

Por fim, quem optar por swing trade precisa, antes de tudo, estar consciente sobre os riscos envolvidos. E, se for entendido que essa é a melhor opção para construir riqueza, é fundamental estudar cada dia mais!

Escrito por

Especialista em Finanças Corporativas pela Fundação Getúlio Vargas. É formado pelo Programa de Profissionais do Mercado Financeiro da Bolsa de Valores de São Paulo e pelo Programa CVM de Professores para Mercado de Capitais, Avaliador de Empresas pela NACVA - National Association of Certified Valuators and Analysts (EUA). Fundou a Empreender Dinheiro para democratizar o acesso à Educação Financeira de Alto Poder Transformacional e já impactou diretamente mais de 50.000 pessoas em suas soluções educacionais.

Compartilhe conosco suas experiências

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *