Home Blog TAEE11: vale a pena investir em ações da Taesa?

TAEE11: vale a pena investir em ações da Taesa?

TAEE11

A Transmissora Aliança de Energia Elétrica S.A ou Taesa (TAEE11) é uma companhia que atua no setor privado de transmissão de energia elétrica, direcionando seus serviços a construção, operação e manutenção de ativos de transmissão.

As ações da Taesa (TAEE11) integram a bolsa de valores brasileira, como também o Índice Bovespa (Ibovespa). Assim, a companhia pode se tornar uma opção para investidores que observam no setor elétrico oportunidades benéficas.

O que é a Taesa (TAEE11)?

A Taesa S.A (TAEE11) é uma das grandes companhias do setor elétrico, sendo detentora de mais de 12 mil quilômetros de linhas de transmissão. Além disso, a Taesa é uma empresa nacional e suas ações são negociadas na B3 (Brasil, Bolsa e Balcão) mediante a utilização do ticker TAEE11.

Em suma, a atuação do Grupo Taesa, se deu em 2000, mediante a constituição da Novatrans e TSN.

A companhia possui, em média, mais de 1.033.496.721 bilhões de ações gerenciadas, sendo 63,4% em free float.

Além da Taesa, outras empresas integram o setor de energia elétrica no Brasil, dentre elas está a Neoenegia (NEOE3) e a Engie Brasil (EGIE3).

  1. Neoenergia: a empresa centraliza suas atividades na geração, transmissão, distribuição e comercialização de energia elétrica. Além disso, a companhia possui dezessete parques eólicos, sete hidrelétricas e uma usina térmica e gás natural.
  2. Engie Brasil: a companhia atua no setor privado de energia elétrica, promovendo geração, transmissão e comercialização de energia. Possui 61 usinas, com capacidade de 10.211 MW.

Desse modo, diante da expressividade da Taesa para o mercado e seu desenvolvimento na B3, é de suma importância compreender sua trajetória financeira e seu modelo de negócio.

Assim, através das informações adquiridas, será possível investir de forma independente e consciente.

História da Taesa (TAEE11)

TAEE11 1

Em 2000, a Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) executou um leilão, contendo instalações de transmissão de energia elétrica divididas em três lotes A, B e C, os lotes A e C, foram vencidos, respectivamente, pelo Consórcio Novatrans Energia e Consórcio INEPAR/ENELPOWER.

O consórcio Novatrans Energia era composto pela Civilia Engenharia S.A e Camargo Correa, assim, após vencer o leilão, foi constituída uma sociedade de propósito específico nomeada de “Novatrans”.

Já o Consórcio INEPAR/ENELPOWER era formado pelas companhias EnelpowerS.p.A. e Inepar Energia S.A, também constituíram uma sociedade de propósito específico, nomeada “Transmissora Sudeste Nordeste S.A.” ou (TSN), além disso, ambas empresas possuíam como objetivo construir e explorar as instalações de transmissão.

Dessa forma, logo após o leilão, a EnelpowerS.p.A., adquiriu 100% do controle da TSN e Novatrans.

Assim, em 2003, o controle da Novatrans e TSN foi transferido para a Terna S.p.A, posteriormente, no ano de 2006, a Terna decidiu constituir uma holding no Brasil, a Terna Participações S.A., transferindo para a holding o controle da TSN e Novatrans.

Em 2006, a Terna decide abrir seu capital através de uma oferta pública de ações.

Além disso, em 2009, a Terna S.p.A. realizou a venda da Terna Participações, para o Fundo de Investimento em Participações Coliseu (FIP Coliseu), e para a Cemig Geração e Transmissão S.A.

Ainda em 2009, a holding Terna Participações foi denominada Transmissora Aliança de Energia Elétrica S.A.

Expansão da Taesa

No ano de 2011, a Taesa realizou a aquisição de 50% das ações, no capital social da União de Transmissoras de Energia Elétrica Holding S.A.(UNISA), detidas pela Abengoa Concessões Brasil Holding S.A.

Além do mais, em 2011, a Taesa realizou a aquisição de 100% das ações detidas pela UNISA e pela Abengoa no capital social da Nordeste Transmissora de Energia S.A.(NTE), tornando-se controladora da companhia.

Logo após, em 2012, a Taesa realizou a aquisição dos 50% restantes das ações detidas pela Abengoa, no capital social da UNISA, tornando-se detentora de 100% do capital social da UNISA, como também, controladora das concessionárias STE Transmissora de Energia Elétrica S.A, ATE Transmissora de Energia S.A, ATE II Transmissora de Energia S.A e a ATE III Transmissora de Energia S.A.

Em 2012, a Taesa foi a vencedora do leilão promovido pela ANEEL, constituindo a São Gotardo Transmissora de Energia Elétrica S.A, localizada em Minas Gerais.

Posteriormente, no ano de 2013, foi autorizada pela ANEEL, a transferência para a Taesa, das ações detidas pela CEMIG e CEMIG GT em algumas concessionárias de transmissão de energia elétrica que, quando agrupadas, são conhecidas como “Transmissoras Brasileiras de Energia S.A.”

Aquisições da Taesa

Além do mais, em 2013, a associada EATE comemorou um contrato de compra e venda de ações com a Orteng Equipamentos e Sistemas S.A, o contrato possibilitou a aquisição de 10% do capital social total das transmissoras Companhia Transudeste de Transmissão, Companhia Transleste de Transmissão e Companhia Transirapé de Transmissão (Transmineiras).

No ano de 2013, a empresa adquiriu mediante um leilão, a Mariana Transmissora de Energia Elétrica S.A.

Ainda em 2016, a Taesa foi vencedora de outro leilão da ANEEL, constituindo a Miracema Transmissora de Energia Elétrica S.A. Além disso, a companhia venceu a disputa pelos lotes 3, 4, 17 e 22 (Janaúba, Paraguaçu, Aimorés e ESTE) permitindo a Taesa explorar esses lotes por 30 anos.

Assim, no ano de 2017, a Taesa e a Apollo 12 Participações S.A., junto a associada Empresa Norte de Transmissão de Energia S.A.(ENTE) comemoram o contrato de compra e venda de ações, sendo assim, a empresa é responsável pela aquisição de 24,95% de fração da Taesa e 50,10% por cota da ENTE, do capital social da IB SPE Transmissora de Energia Elétrica S.A.

Dessa forma, em 2018, a empresa saiu vencedora do leilão de transmissão nº 004/2018, promovido pela ANEEL, referente ao lote 12, com desconto de 38,8%, proporcionando uma Receita Anual Permitida (RAP) inicial de 59 milhões de reais.

Linha do tempo da Taesa (TAEE11)

  • 2000 – O Consórcio Novatrans Energia e o Consórcio INEPAR/ENELPOWER vencem leilão da ANEEL;
  • 2000 – A EnelpowerS.p.A. adquire 100% do controle da TSN e Novatrans;
  • 2003 – O controle da Novatrans e TSN é transferido para a Terna S.p.A;
  • 2006 – A Terna decide constituir uma holding no Brasil, a Terna Participações S.A., transferindo o controle da TSN e Novatrans para a holding;
  • 2006 – Terna abre seu capital através de uma oferta pública de ações;
  • 2009 – A Terna S.p.A. realiza a venda da Terna Participações, para o Fundo de Investimento em Participações Coliseu (FIP Coliseu), e para a Cemig Geração e Transmissão S.A;
  • 2009 – A Terna Participações S.A é denominada Transmissora Aliança de Energia Elétrica S.A;
  • 2011 – Taesa realiza compra de 50% das ações, no capital social da UNISA, detidas pela Abengoa;
  • 2011 – A companhia consegue adquirir 100% das ações detidas pela UNISA e pela Abengoa, no capital social da Nordeste Transmissora de Energia S.A.(NTE);
  • 2012 – Taesa realiza aquisição dos 50% restantes das ações detidas pela Abengoa, no capital social da UNISA;
  • 2012 – A empresa venceu o leilão promovido pela ANEEL, constituindo a São Gotardo Transmissora de Energia Elétrica S.A;
  • 2013 – Transferência para a Taesa, das ações detidas pela CEMIG e CEMIG GT em algumas concessionárias de transmissão de energia elétrica, é autorizada pela ANEEL;
  • 2013 – A EATE, associada da empresa, comemora um contrato de compra e venda de ações com a Orteng Equipamentos e Sistemas S.A, além disso, a Taesa realiza a aquisição através de leilão, da Mariana Transmissora de Energia Elétrica S.A;
  • 2016 – Taesa venceu leilão da ANEEL, constituindo a Miracema Transmissora de Energia Elétrica S.A. e a disputa pelos lotes 3, 4, 17 e 22 (Janaúba, Paraguaçu, Aimorés e ESTE);
  • 2017 – A companhia comemora contrato de compra e venda de ações do capital social da IB SPE Transmissora de Energia Elétrica S.A.
  • 2018 – Taesa é a vencedora do leilão de transmissão nº 004/2018, referente ao lote 12, com desconto de 38,8%.

Como atua a Taesa (TAEE11)?

A empresa é considerada uma das grandes empresas de transmissão de energia do Brasil.

Assim, a companhia possui, mais de 144 mil km de extensão de alta voltagem e 13.579 km de linhas de transmissão.

Além disso, a Taesa é detentora de 39 concessões de transmissão, dentre as principais estão:

  1. Novatrans;
  2. TSN;
  3. ETAU;
  4. GTESA;
  5. São Gotardo;
  6. Miracema;

Desse modo, pode-se observar que a Taesa busca expandir o alcance de seus serviços.

Características das ações da Taesa (TAEE11)

As ações da Taesa  são negociadas na B3 e possuem as seguintes características:

A classificação setorial da Taesa mediante informações disponibilizadas na B3 é: Utilidade Pública e Energia Elétrica.

Além do mais, seu segmento de listagem na bolsa de valores é o Nível 2.

Suas ações oferecem Tag Along de 100% ON, 100% PN e 80% UNIT, além de free float de 63,4%.

O que faz a Taesa (TAEE11)?

A principal atividade da Taesa é relativa à transmissão de energia elétrica em território nacional.

Dessa forma, dentre alguns de seus serviços ofertados, estão:

  • Construção e operação de redes de energia elétrica;
  • Manutenção de ativos de redes de transmissão.

Além disso, a Taesa busca adotar medidas de responsabilidade sustentável, implementando um desenvolvimento socioambiental na empresa.

As ações da Taesa (TAEE11): onde e como são negociadas?

O ticker da Taesa (TAEE11) é negociado na bolsa de valores brasileira, ou seja, B3 (Brasil, Bolsa e Balcão).

As ações da empresa podem ser comercializadas em plataformas digitais, com o intuito de tornar o processo de negociação mais simples para os investidores.

A companhia possui ações ordinárias (TAEE3) que dão direito ao voto durante assembleias, ações preferenciais (TAEE4) que ofertam prioridade no recebimento de dividendos e ações UNIT (TAEE11) que integram ambas ações.

Assim, para se tornar acionista da Taesa, é de suma importância realizar a abertura de uma conta numa corretora de valores de sua escolha. Que esteja credenciada pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

Logo após, o investidor precisa realizar uma transferência TED, com o capital desejado para adquirir as ações, posteriormente, o acionista poderá selecionar as ações da Taesa, denominadas como TAEE3, TAEE4 e TAEE11.

Como ganhar dinheiro com as ações da Taesa (TAEE11)?

TAEE11 2

Primeiramente, é importante destacar que existem formas variadas de adquirir lucro com as ações da Taesa (TAEE11) na bolsa de valores.

Dentre essas formas, pode-se incluir o ganho de dividendos, visto que, a companhia possui um histórico recorrente de pagamento de dividendos.

Além disso, os investidores poderão adquirir lucros através da comercialização de suas ações por um preço maior que o adquirido.

Assim, algumas questões possibilitam que os acionistas realizem seus investimentos de maneira mais prudente, dentre essas questões, pode-se incluir a diversificação da carteira de ativos do investidor, compondo uma carteira que detenha renda fixa e renda variável.

Além do mais, é importante que os investidores se atenham a liquidez, segurança e rentabilidade antes de negociar uma ação.

Logo, mediante os objetivos do acionista e seu perfil, possuir uma boa rentabilidade, pode representar uma alternativa mais viável para o investidor, em comparação, a busca por uma alta liquidez.

Portanto, a priorização entre alta liquidez ou rentabilidade, irá depender dos objetivos do investidor, dado que, o acionista poderá adquirir ações para curto ou longo prazo.

Vale a pena investir na Taesa (TAEE11)?

A Taesa  é uma das principais companhias de transmissão de energia elétrica.

Visto que, a Taesa opta por trabalhar com concessões longas, dessa forma, seus contratos não necessitam constar o volume de energia transportado, tornando a receita fixa, sendo ajustada apenas pela inflação, logo, a empresa consegue ter uma previsibilidade da receita que terá que com suas operações.

Entretanto, apesar da Taesa ser uma empresa privada, ainda é necessário o pagamento de encargos ao governo, relacionados ao setor de energia, desse modo, os custos podem sofrer variações, logo, esses valores podem ser embutidos em despesas da empresa, acarretando um repasse para o público consumidor, consequentemente, pode impactar suas ações e seu exercício empresarial.

Portanto, antes de selecionar a ação que você investirá seu capital, é de grande relevância realizar uma análise fundamentalista. É importante ressaltar que, além da análise citada, existe a análise técnica.

Entretanto, não recomendamos a análise técnica como único fator a ser considerado para decisões de investimento.

Por isso, é importante utilizar diversos indicadores para verificar se seus investimentos estão sendo realizados de forma prudente, seja com a Taesa (TAEE11) ou com outra empresa da bolsa de valores.

Escrito por

Especialista em Finanças Corporativas pela Fundação Getúlio Vargas. É formado pelo Programa de Profissionais do Mercado Financeiro da Bolsa de Valores de São Paulo e pelo Programa CVM de Professores para Mercado de Capitais, Avaliador de Empresas pela NACVA - National Association of Certified Valuators and Analysts (EUA). Fundou a Empreender Dinheiro para democratizar o acesso à Educação Financeira de Alto Poder Transformacional e já impactou diretamente mais de 50.000 pessoas em suas soluções educacionais.

Compartilhe conosco suas experiências

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

connect

we'd love to have your feedback on your experience so far

bicycle