Home Blog Tesouro Selic: entenda de vez esse investimento!

Tesouro Selic: entenda de vez esse investimento!

tesouro selic 11

Anteriormente chamado de LFT, o Tesouro Selic é um título pós-fixado com rentabilidade atrelada à Taxa Selic, taxa de juros básica da economia.

O Tesouro Selic é indicado para investidores que desejam maior estabilidade e segurança nos seus investimentos.

Isso porque o Tesouro Selic oferece liquidez diária, evitando perdas no caso de saques antecipados. No entanto, por conta disso, sua rentabilidade acaba sendo inferior a de outros títulos como o CDB.

O que é o Tesouro Direto?

O Tesouro Direto é um programa do Tesouro Nacional que serve para a venda de títulos públicos federais para pessoas físicas através da internet.

Portanto, o próprio Governo acaba sendo o emissor desses investimentos.

Ou seja, ao contrário de aplicações como o CDB, emitido por instituições bancárias, o Tesouro Selic é um empréstimo feito às contas públicas.

Nesse caso, é ele quem se compromete a devolver o valor aplicado acrescido de juros durante o período acordado no início do investimento.

Existem três categorias existentes nesses títulos públicos federais:

  • Prefixados;
  • Pós-fixados;
  • Híbridos.

O que é o Tesouro Selic?

tesouro selic

O Tesouro Selic, antes conhecido como Letra Financeira do Tesouro (LFT), é considerado um título pós-fixado.

Isso significa que sua rentabilidade está atrelada a variação de um índice, sendo ele a Taxa Selic.

Por conta disso, seus rendimentos acabam variando de acordo com os momentos econômicos do país.

Em constante baixa nos últimos anos, a Taxa Selic é estabelecida pelo Banco Central, responsável pelos juros básicos da economia.

Em geral, o Tesouro Selic é uma ótima aplicação para os investidores que buscam baixo risco, alta liquidez e praticidade.

É importante destacar que títulos federais como o Selic não contam como a proteção do FGC (Fundo Garantidor de Crédito).

Isso porque, por ser uma aplicação garantida pelas contas públicas, o risco é praticamente nulo.

Ou seja, caso haja a falência do seu emissor, significa que todo o sistema brasileiro estará em colapso, impactando qualquer outras opções de investimento cobertas pelo FGC.

Qual a liquidez do Tesouro Selic?

A liquidez do Tesouro Selic é bastante alta, sendo de D+1.

Isso significa que o Banco Central compra qualquer título antes do vencimento, oferecendo os valores do resgate em apenas um dia útil.

Ou seja, você negocia em um dia e recebe no próximo dia útil.

Por conta disso, esse investimento costuma ser bastante utilizado para a criação de uma reserva de emergência, seja por investidores iniciantes ou experientes.

Um benefício relacionado à rápida liquidez é o rendimento positivo garantido desse título, a cada dia, independentemente do cenário econômico.

Características do Tesouro Selic

Existem algumas características bastante marcantes desse título público pós-fixado.

O Tesouro Selic, ao contrário de aplicações como o LCI, sofre a cobrança de Imposto de Renda, conforme o tempo de aplicação.

No entanto, a sua incidência é regressiva, o que significa que, quanto maior o tempo da aplicação, menor o percentual cobrado.

Além disso, existe uma taxa de custódia fixa atrelada a ele, sendo de 0,3% sobre o total da aplicação.

A cobrança de outras taxas varia de acordo com a instituição escolhida para a compra do título. Por isso, faça uma pesquisa detalhada sobre as corretoras de valores existentes.

Dessa forma, você conseguirá encontrar a que mais se adeque aos seus objetivos financeiros.

Qual a rentabilidade do Tesouro Selic?

A rentabilidade do Tesouro Selic, assim como sua liquidez, é diária, sendo atrelada à variação da Taxa Selic divulgada pelo Banco Central no período.

Por isso, o aumento da rentabilidade desse investimento é completamente proporcional ao aumento dessa taxa.

Tesouro Selic ou Poupança?

É importante destacar que, por menor que esteja a Taxa Selic, a rentabilidade do Tesouro Selic sempre estará acima da inflação.

No entanto, não se pode dizer o mesmo da Caderneta de Poupança, já que ela acaba diminuindo o poder de compra dos investidores ao render abaixo da inflação.

Como exemplo disso, vamos analisar um caso hipotético:

Uma garrafa que hoje custa R$10 reais, em 10 anos, estará custando R$17.

Portanto, um investimento de R$10 feito hoje precisaria render mais do que R$7 em 10 anos para ter um rendimento real.

No entanto, não é o caso da poupança.

Tesouro Selic ou Tesouro IPCA?

Em momentos de queda da Taxa Selic, como o atual, o Tesouro IPCA oferece uma rentabilidade maior que o Selic.

Na verdade, ele é a opção ideal para momentos de instabilidade inflacionária, já que é corrigido pelo IPCA.

No entanto, é preciso destacar que essa é uma opção de investimento a longo prazo.

Portanto, caso você deseje vender o título (sacar o valor investido), estará correndo o risco de perder dinheiro.

Qual a tributação no Tesouro Selic?

Da mesma forma que outros investimentos de renda fixa, o Tesouro Selic é sujeito à incidência de tributações.

O IOF (Imposto Sobre Operações Financeiras) e o Imposto de Renda (IR) incidem sobre a rentabilidade do período.

No caso do IR, as alíquotas variam de acordo com o período da aplicação, por serem regressivas.

Para entender melhor, confira a tabela a seguir:

Até 180 dias22,50%
181 até 360 dias20,00%
361 até 720 dias17,50%
Acima de 720 dias15,00%

Já para o IOF, a cobrança só ocorre se o período do investimento for inferior a 30 dias, variando de 96% no primeiro dia a 3% no 29°.

Cobrança de taxas no Tesouro Selic

Existem duas taxas que podem ser cobradas no Tesouro Direto. São elas:

A taxa de custódia da BM&FBovespa é obrigatória, sendo de 0,30% ao ano sobre o valor total dos títulos do Tesouro Direto até o valor de R$1.500.

Já a taxa de administração depende da corretora escolhida. Mesmo com poucas fazendo essa cobrança no mercado, é importante que você pesquise bem para não perder dinheiro.

Como investir no Tesouro Selic?

Para investir no Tesouro Selic ou em qualquer outro título público disponível, é preciso ter uma conta em uma corretora de valores.

A escolha dessa instituição deve ser feita de forma exclusiva por você, que é quem irá utilizá-la ao longo do tempo.

Por isso é importante que você pesquise entre as diversas opções no mercado, suas cobranças, taxações e informações de estabilidade no mercado.

Para isso, pode valer a pena abrir conta em mais de uma instituição.

Após isso, você deverá buscar na plataforma de renda fixa as opções disponíveis para a compra.

Nesse momento, estarão 3 grupos relacionados ao Tesouro Direto, que são:

  1. Tesouro Selic: ganhos conforme a variação da Taxa Selic;
  2. Tesouro Prefixado: ganhos estabelecidos no momento da compra do título;
  3. Tesouro IPCA: ganhos conforme a variação da inflação mais uma taxa prefixada.

Após isso, é só selecionar a opção desejada e fazer a compra do título.

Para quem o Tesouro Selic é indicado?

Por ser um título público com baixa volatilidade de preços, o Tesouro Selic é indicado para investidores mais conservadores ou que desejam construir uma reserva de emergência.

Principalmente em momentos de baixa da Taxa Selic, como o atual, ele vale mais a pena como uma opção mais imediata para que o dinheiro não fique sem render.

Vale lembrar que, caso você saque o valor aplicado no Tesouro Selic, o Tesouro Nacional recompra o título pelo preço de mercado no momento da venda.

Escrito por

Especialista em Finanças Corporativas pela Fundação Getúlio Vargas. É formado pelo Programa de Profissionais do Mercado Financeiro da Bolsa de Valores de São Paulo e pelo Programa CVM de Professores para Mercado de Capitais, Avaliador de Empresas pela NACVA - National Association of Certified Valuators and Analysts (EUA). Fundou a Empreender Dinheiro para democratizar o acesso à Educação Financeira de Alto Poder Transformacional e já impactou diretamente mais de 50.000 pessoas em suas soluções educacionais.

Compartilhe conosco suas experiências

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *