Value Investing: como funciona essa estratégia?

value investing

Quando se inicia no universo das ações, o investidor precisa identificar qual tipo é melhor para as suas necessidades. Entre as opções, está o Value Investing, que pode ser uma boa escolha para aqueles que desejam investir a longo prazo.

O investimento em valor, isto é, Value Investig, funciona como um paradigma de investimento que deriva das ideias sobre investimento criadas por Benjamin Graham e David Dodd.

Em linhas gerais, o conceito de Value Investing defende a ideia da compra de ações de empresas quando elas estão desvalorizadas.

Entendendo o Value Investing


Value Investing, em primeiro ugar, é um conceito no qual consiste em uma estratégia de investimento que tem como fundamentação a compra de ações de empresas que estão desvalorizadas. Sendo assim, ele leva em conta o potencial futuro da empresa, não o valor atual do mercado.

Dessa forma, investidores que usam o método Value Investing compram, abaixo do custo, ações de uma empresa que no cenário atual está em baixa, mas que a longo prazo, pode resultar em lucro.

Como dito, o termo provém da língua inglesa, que em tradução literal significa “investimento em valor”. Ele deriva das ideias sobre investimentos que foram desenvolvidas por Benjamim Graham.

Como funciona a estratégia de Value Investing?

No mercado de ações, essa estratégia consiste na compra de papéis, baseando-se na oferta e procura. No entanto, ela será usada para vender de forma mais rápida ações que poucas pessoas têm interesse em comprar.

Caso uma empresa que não esteja em seu melhor momento deseje captar recursos com suas operações, ela pode abrir uma Oferta Pública Inicial (IPO) na Bolsa de Valores.

Com isso, através da compra destes papéis, um investidor pode se tornar acionista da empresa pagando valores mais baixos do que valem as ações, seguindo o valor contábil do ativo no cenário econômico atual.

Deste modo, antes de fazer isso, é preciso fazer uma análise fundamentalista para avaliar as oportunidades, levando em conta a situação financeira, econômica e mercadológica da empresa no período atual.

Para isso, há alguns critérios e variáveis usados para estudar o comportamento da empresa no mercado financeiro. São eles, por exemplo:

  • Inflação;
  • Taxa de câmbio;
  • Capacidade instalada;
  • Tamanho e faturamento;
  • Nível de atividade
  • Análise quantitativa;
  • Histórico da empresa.

Para que a estratégia Value Investing dê certo, é essencial que o investidor se identifique com a empresa que está obtendo ações, considerando seus valores intrínsecos. Em seguida, deve visar o potencial econômico que a instituição possa ter no futuro.

Como surgiu o Value Investing?

Benjamim Graham foi um influente economista americano considerado percussor da estratégia “buy and hold” que, dentro do universo dos investimentos, consiste em “comprar e manter” ações por um longo período.

Em 1934, junto a David Dodd, também economista e analista financeiro, lançou o livro Security Analysis. O que era para ser um guia, só como bases intelectuais sobre investimentos, vendeu mais de 250.000 cópias em 1988, sendo um sucesso. Desse modo, se tornou a maior referência para o que, depois, viria ser de “Value Investing”.

Além disso, Warrer Buffet, um bilionário seguidor de Graham, adotou os conceitos usados por Benjamim e aplicou à sua estratégia de investimento em valor, aumentando a importância do Value Investing.

Modalidades de Value Investing

Dentro das estratégias de Value Investing, há dois tipos que se destacam: Deep Value Investing e High Quality. Essas são as mais importantes para o mercado de capitais.

Deep Value Investing

Em primeiro lugar, o Deep Value funciona através da busca por ações muito desvalorizadas que se negociam baixo dos seus valores de liquidação.

Desse modo, se a empresa for liquidada, vender seus ativos e pagar todos os tributos, o restante se distribuiria aos sócios. Então, o acionista receberia bem mais dinheiro do que pagou quando comprou as ações.

Portanto, este modo de aplicações prevê os menores preços, pois as perspectivas de crescimento de uma empresa serão fruto da valorização do mercado no futuro.

Para os Deep Value Investors, o interessante é conseguir proteger seu capital e obter bons preços nos investimentos atuais. Assim, se ganha uma maior margem de segurança nas aplicações.

High Quality

Já a High Quality é a estratégia que se baseia nos critérios fundamentais. Sendo assim, ela não visa apenas o valor de uma empresa abaixo do custo, mas características qualitativas que, a médio ou longo prazo, façam com que a marca cresça no mercado financeiro.

Contudo, as ações dessas empresas precisam estar valendo bem menos que o valor real. Alguns critérios nos quais investidores High Quality se baseiam para comprar ações de empresas subvalorizadas são, por exemplo:

Qual a fórmula para calcular o Value Investing?

Em alguns tipos de ações e aplicações, é possível fazer o cálculo de indicadores e índices de rentabilidade. No geral, se determina o tempo de retorno, lucro a ser obtido e taxas que podem ser descontadas. Contudo, investimentos em modalidade Value Investing não seguem a mesma diretriz.

Desse modo, é através de quatro pontos que pode se avaliar se será bom comprar ações de uma empresa que está em descrédito e se, em médio ou longo prazo, a instituição conseguirá retornar seu valor real. Entenda:

  • Confiança: é preciso entender bem a dinâmica da empresa na qual está se tornando acionista. Compreender como o mercado funciona é fundamental para garantir que você não está sendo influenciado a aplicar porque outra pessoa alega ser um bom investimento;
  • Analisar: essa etapa se faz através da análise fundamentalista, entendendo se a empresa está gerando lucro, ganhando margem, se está bem e com bons indicadores;
  • Manter o foco: com a volatilidade, o mercado financeiro pode sofrer altas e baixas. Então, é preciso manter o foco e não se desesperar com resultados ruins, pois, assim, o investidor acaba por tomar decisões precipitadas;
  • Ter um método: por fim, é preciso ter um método que ajude a investir com maior segurança. Ele precisa blindar o investidor das emoções e ajudá-lo a calcular de modo fácil os indicadores de uma empresa, sejam eles bons ou ruins.

Portanto, para avaliar o Value Investing, é preciso olhar criticamente os dados entregues e ir além. Ao comprar com a intenção de valorização no preço da ação, então, é preciso ter em mente alguns dados antes.

O que é Value Investing?

Value Investing é um conceito no qual consiste em uma estratégia de investimento que tem como fundamentação a compra de ações de empresas que estão desvalorizadas.

Quais os tipos de Value Investing?

Há as modalidades de Deep Value Investing e High Quality. O Dee Value funciona através da busca por ações muito desvalorizadas que podem ser negociadas abaixo dos seus valores de liquidação. Já o segundo, a estratégia que se baseia nos critérios fundamentais. Sendo assim, ela visa características qualitativas que podem fazer com que a marca se restabeleça no mercado financeiro.

Acesso rápido

Compartilhe:

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Arthur Dantas Lemos

Arthur Dantas Lemos

Especialista em Finanças Corporativas pela Fundação Getúlio Vargas. É formado pelo Programa de Profissionais do Mercado Financeiro da Bolsa de Valores de São Paulo e pelo Programa CVM de Professores para Mercado de Capitais, Avaliador de Empresas pela NACVA - National Association of Certified Valuators and Analysts (EUA). Fundou a Empreender Dinheiro para democratizar o acesso à Educação Financeira de Alto Poder Transformacional e já impactou diretamente mais de 50.000 pessoas em suas soluções educacionais.

Comentários:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimos artigos