Home Blog VIVT4: descubra tudo sobre as ações da Telefônica Brasil!

VIVT4: descubra tudo sobre as ações da Telefônica Brasil!

VIVT4

A Telefônica Brasil S/A (VIVT4) é uma empresa que integra o âmbito da telecomunicação brasileira, comercializando serviços como telefonia fixa e móvel, TV por assinatura e produtos digitais.

As ações da Telefônica (VIVT4) fazem parte da bolsa de valores brasileira e integram o Índice Bovespa (Ibovespa), assim, a companhia pode se tornar uma opção para os acionistas que buscam investir no segmento de telecomunicação.

O que é a Telefônica Brasil (VIVT4)?

A Telefônica Brasil (VIVT4) é uma das maiores empresas de telecomunicações fixas e móveis do Brasil, possuindo atuação também no âmbito internacional. Além disso, as ações da Telefônica são negociadas na B3 (Brasil, Bolsa, Balcão) através do ticker VIVT4.

Em suma, a Telefônica atua desde 1972, prestando serviços públicos de telecomunicação.

A empresa possui, em média, mais de 1.690.984.923 bilhões de ações gerenciadas, sendo 28,4% destas em free float.

Além da Telefônica Brasil, outras empresas integram o setor de telecomunicações no Brasil, dentre elas está a Tim Participações (TIMP3) e a Oi (OIBR4).

  • Tim Participações: a companhia atua no segmento de telecomunicações, ofertando serviços e produtos relacionados a telefonia fixa e móvel, além de banda larga fixa. Além disso, a companhia é considerada uma das líderes no segmento 4G e suas ações podem ser negociadas na Bovespa.
  • Oi: a empresa é brasileira e integra o setor de telecomunicações do Brasil, oferecendo serviços de banda larga, TV por assinatura, telefonia fixa e móvel e transmissão de dados.

Desse modo, mediante a expressividade da Telefônica Brasil para o mercado financeiro e sua atuação na B3, é de grande relevância entender sua história e trajetória profissional, além de seu modelo de negócio.

Assim, será possível tomar boas decisões de investimentos.

História da Telefônica Brasil (VIVT4)

No ano de 1972, após a constituição de Telecomunicações Brasileiras S.A, a Telebrás, através de sua subsidiária “Sistema Telebrás”, realizou a aquisição de grande parte das empresas telefônicas do Brasil, assim, a companhia se tornou monopólio na prestação de serviços públicos de telecomunicações.

Foi em 1998, que o Sistema Telebrás foi reestruturado para criar, além da Telebrás, 12 novas companhias holdings.

Ainda no ano de 1998, o Sistema Telebrás foi privatizado pelo Governo Federal, comercializando todas as suas ações nas novas companhias holdings.

Além disso, no ano de 1999, mediante a reestruturação da SP Telecomunicações, uma de suas subsidiárias, SPT Participações S.A, tornou-se acionista da TelespPar.

Logo após, em 2000, a ex-subsidiária integral, Telefônica Empresas S.A, é criada com o intuito de fornecer serviços da Rede Comutada de Pacote. Assim, no ano de 2001, acionistas aprovaram a fragmentação das operações realizadas pela Telefônica Empresas S.A, para criar uma companhia independente e nacional, a Telefônica Data Brasil Holding S.A.

Foi em 2002, que a empresa começou a operar serviços de longa-distância internacional e logo após, começou a operar o serviço de longa-distância inter-regional.

Posteriormente, em 2003, a companhia conseguiu a autorização para começar a utilizar o Serviço de Comunicação Multimídia no território nacional.

No ano de 2004, foi implementada uma nova resolução, destacando que todas as ligações que eram registradas como tarifas de longa distância nacional (Áreas Conurbadas), agora sejam faturadas como tarifas mais baixas como ligações locais.

Ainda no ano de 2004, a companhia realizou a aquisição do controle indireto da Atrium Telecomunicações Ltda, que fornece serviços de telecomunicações no Brasil, sendo uma empresa controlada pela Launceston Partners CV.

Logo após, em 2005, foi aprovada a reestruturação societária das ex-subsidiárias integrais da empresa, dentre elas: A. Telecom S.A, Santo Genovese Participações Ltda e Atrium Telecomunicações Ltda.

Expansão da Telefônica Brasil

Assim, no ano de 2006, a companhia fechou um contrato com a Abril Comunicações S.A, TVA Sistema de Televisão S.A., Comercial Cabo TV São Paulo Ltda., TVA Sul Paraná Ltda. e TVA Radioenlaces Ltda., em síntese, o Grupo Abril, com o objetivo de integrar os serviços de telecomunicações e banda larga aos serviços de TV a cabo e banda larga Tevecap S.A.

Foi em 2008, que a Telefônica Sistema de Televisão (TSA) e a Telefônica Televisão Participações S.A (TTP), realizaram a aquisições de todas as ações da Mundial Voip Telecomunicações Ltda que pertenciam a Abril Comunicações S.A.

No ano de 2009, a Telefônica Data S.A. incorporou sua subsidiária controlada TS Tecnologia da Informação Ltda.

Posteriormente, em 2010, a Telefônica, através de um acordo inicial com a Portugal Telecom, conseguiu adquirir 50% do capital social da Brasilcel.

Foi em 2011, que a companhia conseguiu realizar a aquisição da Vivo Participações, assim, através de sua controladora SP Telecomunicações Ltda, lançou uma oferta pública para aquisição de ações ordinárias da Vivo Participações

Além disso, em 2012, a reestruturação societária das subsidiárias integrais da companhia, foram aprovadas, pelo Conselho de Administração da Companhia, dessa forma, todos os serviços de telecomunicações foram concentrados em uma única empresa.

Em 2013, a Telefônica conseguiu um acordo com acionistas da TELCO, subscrevendo e integralizando o aumento do capital social da TELCO, através de um aporte de 324 milhões de euros, assim, recebeu como contraprestação ações sem direito a voto da TELCO.

Foi em 2014, que a empresa comemorou um contrato de compra e venda de ações com a Vivendi S.A. e algumas subsidiárias, a GVT Participações S.A. (“GVTPart”), a Global Village Telecom S.A. (“GVT Operadora”) e a Telefônica S.A., realizando a aquisição das ações de emissão da GVTPart.

Logo após, em 2015, foi aprovada a fragmentação da TELCO e a operação de swap realizada entre a Telefônica e a Vivendi.

Por fim, em 2017, a Telefônica Brasil S.A., através da subsidiária Telefônica Data S.A, realizou a aquisição de todas as ações representativas do capital social da Terra Networks Brasil S.A.

Linha do tempo da Telefônica Brasil (VIVT4)

  • 1972 – A subsidiária “Sistema Telebrás” realiza a aquisição de grande parte das empresas telefônicas do Brasil;
  • 1998 – Criação de 12 novas companhias holdings;
  • 1998 – Sistema Telebrás é privatizado pelo Governo Federal;
  • 1999 – A SPT Participações S.A, tornou-se acionista da TelespPar;
  • 2000 – A ex-subsidiária integral, Telefônica Empresas S.A, é criada com o intuito de fornecer serviços da Rede Comutada de Pacote;
  • 2001 – Uma companhia independente e nacional é criada, a Telefônica Data Brasil Holding S.A;
  • 2002 – A Telefônica Brasil começou a operar serviços de longa-distância internacional e de longa-distância inter-regional;
  • 2003 – A companhia consegue autorização para começar a utilizar o Serviço de Comunicação Multimídia no território nacional;
  • 2004 – Uma nova resolução é implementada para tarifas de longa distância nacional;
  • 2004 – É realizada a aquisição do controle indireto da Atrium Telecomunicações Ltda;
  • 2005 – É aprovada a reestruturação societária das ex-subsidiárias integrais da empresa;
  • 2006 – A companhia fecha contrato com o Grupo Abril;
  • 2008 – A Telefônica Sistema de Televisão (TSA) e a Telefônica Televisão Participações S.A (TTP) realizam as aquisições de todas as ações da Mundial Voip Telecomunicações Ltda;
  • 2009 – A Telefônica Data S.A. incorporou sua subsidiária controlada TS Tecnologia da Informação Ltda;
  • 2010 – Telefônica adquire 50% do capital social da Brasilcel;
  • 2011 – A companhia adquire a Vivo Participações;
  • 2012 – A reestruturação societária das subsidiárias integrais da companhia é aprovada, pelo Conselho de Administração da Companhia;
  • 2013 – A Telefônica consegue um acordo com acionistas da TELCO;
  • 2014 – A empresa comemorou um contrato de compra e venda de ações, realizando a aquisição das ações de emissão da GVTPart;
  • 2015 – É aprovada a fragmentação da TELCO e a operação de swap;
  • 2017 – A Telefônica Brasil S.A., realiza a aquisição de todas as ações representativas do capital social da Terra Networks Brasil S.A.

Como atua a Telefônica Brasil (VIVT4)?

A companhia Telefônica Brasil é uma das maiores empresas de telecomunicações do mundo.

Desse modo, a empresa possui, em média, 73 milhões de clientes em telefonia móvel, além disso, 3.100 cidades brasileiras recebem cobertura 4G.

Além do mais, a Telefônica Brasil detém algumas empresas que integram seu grupo de atuação, dentre elas:

  1. Movistar – Marca opera na Espanha e em países de língua espanhola;
  2. O2 – A marca atua na Alemanha e Inglaterra;
  3. Vivo – Possui atuação no território brasileiro.

Em síntese, percebe-se que a Telefônica Brasil (VIVT4) busca ampliar seus serviços para variados lugares do mundo.

Características das ações da Telefônica Brasil (VIVT4)

As ações da Telefônica Brasil (VIVT4) são negociadas na bolsa de valores brasileira ou B3 (Brasil, Bolsa e Balcão), possuindo as seguintes características:

A classificação setorial da Telefônica Brasil (VIVT4) tendo em vista as informações divulgadas na B3 é: comunicações e telecomunicações.

Além disso, seu segmento de listagem na B3 é o Tradicional.

Suas ações oferecem Tag Along de 80% ON e 0% PN, além de free float de 28,4%.

O que faz a Telefônica Brasil (VIVT4)?

A Telefônica Brasil (VIVT4) integra o Grupo Telefônica, um dos principais grupos de comunicação do mundo.

Dessa forma, alguns serviços integram a empresa, dentre eles estão:

  • Telefonia fixa e móvel;
  • Dados e serviços digitais;
  • Banda larga fixa e móvel;
  • Ultra banda larga;
  • TV por assinatura.

Em suma, observa-se que Telefônica Brasil (VIVT4) possui o intuito de diversificar os serviços oferecidos.

As ações da Telefônica Brasil (VIVT4): onde e como são negociadas?

O ticker da Telefônica Brasil é VIVT4 e pode ser utilizado para negociações na bolsa de valores brasileira.

As ações da empresa podem ser negociadas mediante o uso de plataformas digitais, entregando assim, agilidade e segurança aos investidores.

A Telefônica Brasil possui ações ordinárias (VIVT3) que ofertam direito ao voto durante assembleias executivas, e ações preferenciais (VIVT4), oferecendo prioridade no recebimento de dividendos.

Dessa forma, para começar a investir em ações, é de extrema importância abrir uma conta numa corretora de investimentos.

Posteriormente, o investidor deverá realizar uma transferência TED com o valor desejado para que o investimento seja realizado.

Assim, logo após, o acionista poderá selecionar as ações da Telefônica Brasil que são representadas pelo ticker VIVT3 e VIVT4.

Como ganhar dinheiro com as ações da Telefônica Brasil (VIVT4)?

De início, é de extrema relevância compreender que existem variadas maneiras de adquirir lucros com as ações da Telefônica Brasil (VIVT4) na B3.

Dentre essas maneiras, pode-se incluir o ganho de dividendos, visto que, a companhia paga dividendos de forma recorrente.

Além do mais, o acionista poderá conseguir lucros, mediante a venda de ações por um preço mais elevado que o adquirido.

Assim, alguns cuidados podem possibilitar que o investidor realize suas negociações de maneira mais segura, dentre as possibilidades, pode-se destacar a diversificação da carteira de ativos, gerando uma carteira que detenha renda fixa e renda variável.

Desse modo, é válido se atentar a liquidez, segurança e rentabilidade de uma ação, antes de adquiri-la.

Logo, dependendo do perfil do investidor e seus objetivos, garantir uma boa rentabilidade, pode significar maiores vantagens, quando comparado, a busca por uma alta liquidez.

Entretanto, a priorização entre rentabilidade e liquidez, dependerá dos objetivos do investidor, visto que, o acionista poderá realizar investimentos de médio e longo prazo.

Vale a pena investir na Telefônica Brasil (VIVT4)?

A Telefônica Brasil (VIVT4) é uma das maiores empresas de telecomunicações em território nacional.

Isso porque, a empresa busca uma eficiência operacional, através de uma reestrutura organizacional, a companhia conseguiu reduzir gastos, investindo em digitalização de atendimento, diminuindo assim, as despesas.

Entretanto, a empresa enfrenta uma ampla concorrência, visto que, existem diversas empresas em território nacional que ofertam serviços parecido e até iguais aos da Telefônica Brasil, como é a questão da Tim, Oi, Claro e outros, nesse caso, a menos que a Telefônica encontre uma forma de inovar ou ganhar margem frente sua concorrência, o cenário é de extrema concorrência, esse é um fator que deve ser considerado ao pensar em aportes.

Dessa forma, antes de investir seu capital em uma ação, é de grande relevância realizar uma análise fundamentalista, para verificar se seus investimentos estão sendo realizados de maneira prudente, seja com a Telefônica Brasil (VIVT4) ou com outra empresa da bolsa de valores.

Escrito por

Especialista em Finanças Corporativas pela Fundação Getúlio Vargas. É formado pelo Programa de Profissionais do Mercado Financeiro da Bolsa de Valores de São Paulo e pelo Programa CVM de Professores para Mercado de Capitais, Avaliador de Empresas pela NACVA - National Association of Certified Valuators and Analysts (EUA). Fundou a Empreender Dinheiro para democratizar o acesso à Educação Financeira de Alto Poder Transformacional e já impactou diretamente mais de 50.000 pessoas em suas soluções educacionais.

Compartilhe conosco suas experiências

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *