O crediário é uma boa opção? Saiba tudo sobre a modalidade de crédito!

crediario

O crediário, por muito tempo, foi utilizado como principal meio de compra com parcelamento nas lojas. Ele também é conhecido como carnê.

Com o aumento do uso do cartão de crédito, o crediário perdeu força e deixou de ser usado por várias pessoas, mas, ainda é uma opção para quem não quer comprometer o limite do cartão.

Em resumo, o crediário é um financiamento de bens e serviços. É importante saber mais sobre a modalidade para saber se é uma opção de crédito para você, de acordo com os seus objetivos financeiros. Afinal, como saber se ele é uma boa alternativa?

O que é e como funciona o crediário?

No crediário, o produto é dividido em parcelas com valor e datas fixas para pagamento. Sendo assim, o consumidor recebe uma caderneta com a quantidade de folhas referentes ao parcelamento.

Por exemplo: se você comprar uma TV em 36 vezes, você receberá 36 “folhinhas” na sua caderneta, que deve ser pago todos os meses até a quitação da dívida.

Assim, as parcelas são fixas, acrescidas de juros e correção monetária, e é possível pagar em até 48 vezes. Lembrando que os juros do crediário pode chegar até 6% ao mês, segundo Banco Central.

Como no cartão de crédito, o consumidor passa por uma análise de crédito, que pode ser feita por uma instituição financeira ou pela própria loja que você deseja realizar a compra, para ter a liberação do serviço.

Lojas que oferecem crediário

Ainda que o número de comércios trabalhando com esse serviço tenha diminuído com o uso crescente do cartão de crédito, algumas lojas ainda oferecem o crediário ao consumidor. Algumas delas são:

  • Casas Bahia;
  • Magazine Luiza;
  • Lojas Colombo;
  • Pernambucanas;
  • Lojas Americanas;
  • Ricardo Eletro;
  • Renner;
  • Lojas Torra;
  • Entre outras.

Contratando um crediário

Para fazer a contratação desse serviço, você teve ter os seguintes documentos em mãos:

  • Um documento oficial com foto (RG, passaporte ou carteira de motorista);
  • CPF;
  • Comprovante de residência;
  • Comprovante de renda (carteira de trabalho, extrato bancário ou holerite);
  • Dois telefones para contato.

O processo de abertura do crediário pode ser feito presencial, na loja, e também de maneira virtual, chamado de crediário online ou carnê digital. Basta enviar os documentos solicitados e esperar a análise da loja.

Tipos de crediário

Dentro desse contexto, existem três tipos de crediário: o garantido, o próprio e o financiado. A diferença entre eles está na garantia de pagamento.

Garantido

Nessa modalidade, a loja contrata uma administradora que fica responsável pela liberação de crédito para o consumidor. Assim, ela é responsável pelos pagamentos e também pela cobrança em caso de inadimplência.

Próprio

Sendo o mais popular, no crediário próprio a loja é responsável por conceder o crédito aos clientes, assumindo 100% dos riscos. O consumidor realiza o pagamento das parcelas no próprio comércio.

Financiado

Nesse tipo, a loja obtém o capital de uma instituição financeira para, assim, liberar o crédito para o cliente. Dessa forma, o pagamento é feito diretamente à instituição.

Como pagar as parcelas?

Como citamos anteriormente, as parcelas podem ser pagas diretamente na loja, se for o caso do crediário próprio. Dependendo do carnê, também pode-se pagar em um agência bancária ou caixa eletrônico, com o código de barra disponível na folha, e até mesmo pelo internet banking.

Por isso, é bom olhar as instruções de pagamento com atenção, já que depende de cada tipo de crediário. Mas, essa é a forma mais utilizada.

Posso conseguir um crediário com o nome sujo?

Quem tem o nome negativado nos órgãos de proteção ao crédito, como SPC e Serasa, pode ter mais dificuldades de conseguir a liberação do crediário. Mas, não é impossível. Vai depender de cada comércio as regras e exigências para conceder o serviço ao consumidor.

Para a abertura do crediário, você deve indicar o produto que quer comprar, já que a análise é feita de acordo com o valor da compra. Sendo assim, quanto mais alto o preço, mais difícil será a obtenção do crédito, por causa do nome sujo.

Uma forma de facilitar a liberação é apresentar um carnê quitado, seja ele da própria loja ou da concorrência, ao setor de análise.

crediario 2

Crediário x Cartão de crédito

Benefícios

O crediário oferece algumas vantagens competitivas em relação ao cartão de crédito. Dessa forma, as principais são:

Menores taxas de juros: enquanto os juros do cartão de crédito giram em torno de 12% ao mês, o crediário fica em uma média de 6%. Além disso, caso o consumidor tenha um histórico de bom pagador na loja, é possível negociar descontos, já que a relação é mais próxima.

Mais prestações: Em geral, os cartões de crédito parcelam em até 12 vezes. Já o crediário permite o parcelamento em até 48 vezes, o que garante um valor mais baixo para pagar durante os meses.

Não comprometer o limite do cartão: Para quem tem o limite baixo no cartão, essas é uma forma de comprar sem precisar usá-lo.

Desvantagens

Menor controle das contas: o cartão de crédito reúne, de forma prática, todas as suas dívidas em uma única fatura, o que ajuda a visualizar os gastos futuros. Já o crediário tem apenas as parcelas de uma loja em específico.

Caso o consumidor não tenha educação financeira, isso pode gerar uma bola de neve nas contas do mês.

Maior risco de endividamento: Parcelar algo em 48 vezes aumenta o seu risco de se endividar, já que é um prazo muito longo para pagamento e outras necessidades, e até mesmo emergências, surgirão pelo caminho.

Vale a pena fazer um crediário?

Como todas as linhas de crédito disponíveis no mercado, é necessário fazer uma avaliação do seu momento financeiro e dos seus objetivos para saber se o crediário é a melhor opção. Assim, como as outras opções, ele possui vantagens e desvantagens.

Por isso, você deve conhecer bem a modalidade e o que ela pode te oferecer, além de ter um planejamento financeiro que permita a avaliação de todas as suas contas para não comprometer a renda mensal.

Além disso, deve-se avaliar a real necessidade da compra no crediário, se é um produto essencial ou um gasto supérfluo.

Acesso rápido

Compartilhe:

Arthur Dantas Lemos

Arthur Dantas Lemos

Especialista em Finanças Corporativas pela Fundação Getúlio Vargas. É formado pelo Programa de Profissionais do Mercado Financeiro da Bolsa de Valores de São Paulo e pelo Programa CVM de Professores para Mercado de Capitais, Avaliador de Empresas pela NACVA - National Association of Certified Valuators and Analysts (EUA). Fundou a Empreender Dinheiro para democratizar o acesso à Educação Financeira de Alto Poder Transformacional e já impactou diretamente mais de 50.000 pessoas em suas soluções educacionais.

Comentários:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Últimos artigos